+55 (11) 94062-7019 Atendimento@marcocassol.com.br
Escolha uma Página
Tipos de Prótese de Silicone – Do Tradicional ao de Chip

Tipos de Prótese de Silicone – Do Tradicional ao de Chip

 

Você provavelmente já se perguntou; Qual tipo de prótese mamária deve escolher?

Os tipos de Prótese de Silicone possuem uma ampla variedade de formas e tamanhos, além de serem feitas de materiais que são projetados para mover, sentir e pesar semelhante a uma mama natural o mais natural possível para o aumento dos seios.

É importante escolher uma prótese que se adapte a estrutura correto do seu biotipo.

Lembrando que o tipo de prótese de silicone que ficou perfeito em uma amiga, nem sempre será a que ficará perfeita em você, é muito comum que você se sinta confusa com tantas informações, principalmente com tamanhos de prótese de silicone e as formas de incisões para colocar silicone

modelos de protese de silicone

Os seios são um atributo da feminilidade, razão pela qual sua aparência afeta significativamente o sentimento de sua própria atratividade.

Durante anos, a principal razão para as mulheres se candidatarem à cirurgia de aumento de seios é o desejo de melhorar sua aparência. A primeira operação desse tipo, usando o próprio tecido adiposo do paciente, foi realizada no século XIX por Vincenz Czerny.

As próximas décadas foram marcadas por novos experimentos que deram resultados diferentes. Como enchimento do busto, foi utilizada parafina (promovida por Robert Gersruny, com resultados muito desfavoráveis), por marfim, cartilagem, poliéster ou álcool polivinílico. No entanto, apenas as próteses de silicone, que surgiram na década de 1960, trouxeram uma verdadeira revolução e permitiram a disseminação desse tipo de cirurgia nos seios.

 

Cirurgião Plástico detalha os tipos de Prótese de Silicone e quais podem ser usados para a saúde

O silicone industrial, indevidamente utilizado por “profissionais” despreparados como próteses em humanos, é tema de matérias recorrentes nos últimos dias. De acordo com o cirurgião plástico Dr. Marco Cassol, somente um especialista médico é capaz de avaliar o biotipo da paciente.

Prótese de Silicone: Qual se adéqua melhor ao seu biotipo?

Não é nenhuma novidade que o Brasil é o 2º colocado quando se fala em cirurgia
plástica. Por isso é super comum hoje em dia, mulheres de diversas faixas etárias
aderirem, por exemplo, à plástica nos seios.

Mesmo pela vontade de colocar, nem todas pesquisam e sabem que há diversos tipos de prótese e qual se enquadra melhor para seu biotipo.

O cirurgião plástico Dr. Marco Cassol, a escolha do tamanho e do formato da prótese mamária deve ser definida pelo cirurgião plástico em conjunto com a paciente.

Somente um médico capacitado para este tipo de cirurgia, será capaz de avaliar o biotipo da paciente, tendência à flacidez e expectativa, levando em conta a altura da prótese (que é a projeção para frente) e sua largura (diâmetro).

Prótese de Perfil Baixo e Moderado

Possui maior diâmetro e menor projeção. Ou seja, base mais larga e altura mais baixa. Um tipo de silicone que é pouco utilizado, pois não projeta a mama para a frente e o colo fica apagado, onde é indicado para quem possui o tórax mais largo e não quer que o seio fique em evidência.

Prótese Cônica ou Silicone Perfil Super Alto 

Seu volume está concentrado no centro da prótese, por isso os seios ficam mais projetados para frente. É considerado um formato de colo médio, então dá resultado um pouco mais discreto.

A paciente também pode optar pela prótese de silicone cônica para conseguir seios mais projetados, sem precisar colocar grandes volumes.

É recomendada para quem tem o tórax estreito e os seios pequenos, já que a base do busto não é alargada e a projeção para frente é bem evidente.

 

prótese de silicone formato redondo e gota

Prótese Redonda ou Silicone Perfil Alto 

É um dos formatos mais pedidos entre as pacientes por marcar bastante o colo. Indicado para quem possui o tórax proporcional e já tem naturalmente um volume considerável nas mamas.

Prótese Anatômica ou Silicone Formato Gota

Esse modelo possui a maior parte do volume de silicone concentrado na parte de baixo, proporcionando o aumento da mama, mas sem perder o contorno natural.

Portanto, deixa a mama sem nenhuma projeção, o colo fica pouco marcado e a parte de baixo dos seios fica com maior volume, deixando o resultado mais natural.

Pouco usado na estética, é utilizado basicamente em cirurgias para reconstrução da mama em mulheres que tiveram câncer de mama.

 

imagem com todas as superfícies de proteses de silicone

Tipos de Superfícies de Prótese de Silicone:

Segundo o especialista, há três tipos de superfícies que podem ser utilizadas na
aplicação da cirurgia: lisa, revestida de poliuretano e texturizada.

A lisa é a menos utilizada, pois há maior possibilidade de ocorrência de contratura capsular (endurecimento da cápsula de revestimento que o corpo forma naturalmente em torno da prótese).

Devido à maior dificuldade da aplicação do silicone e até na retirada, onde há incisões maiores na pele, a superfície de poliuretano também está deixando de ser utilizada.

A prótese texturizada ainda hoje é a melhor opção mais fabricada e mais recomendada, pois há muito menos chance de dar contratura capsular.

Por esse motivo, alguns cirurgiões plásticos recomendam o uso desse tipo de implante. Alguns dizem, no entanto, que o aumento dos seios com eles parecem artificiais – eles naturalmente não têm uma forma arredondada.

Por onde Colocar a Prótese de Silicone

No entanto, o efeito também depende da incisão e localização do implante – a localização submuscular, ou parcialmente sub-muscular, permite uma aparência muito natural, especialmente em mulheres jovens. Em contato, os implantes redondos são mais macios do que os implantes anatômicos.

 

VEJA TAMBÉM:

Silicone pelo Umbigo, Aréola, Axila ou Abaixo da Mama

 

 

protese de silicone inteligente

Prótese de Silicone com Chip que promete mais segurança.

No caso da prótese com microchip, que mede 4 milímetros, guarda informações importantes sobre os implantes como tamanho e número de série, e ainda pode indicar alterações na prótese, evitando problemas futuros como, por exemplo, a troca da prótese.

A novidade recebeu o registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em 2017. No entanto, o custo da operação fica de 10% a 20% mais caro. O chip pode ser acessado por meio de radiofrequência, com um leitor externo.

 

Entre as subcategorias de tipos de Prótese de Silicone estão:

 

Baixa: tem uma base mais larga e menos volume no polo superior que os outros perfis, mas, ainda assim, é maior de que a prótese anatômica. É indicada quando se deseja maior projeção do colo;

Moderada: tem uma base mais ou menos larga e volume médio no polo superior da mama. Serve para preenchimento moderado do colo e pouca projeção para frente;

Alta: conta com uma base menor e projeta o polo superior da mama para frente, sem tanto preenchimento do colo;

Super alta: possui uma base ainda menor e tem maior projeção. É recomendada quando se deseja preencher bem o colo e nos casos em que as mamas não se projetem para as axilas.

Todavia, estas próteses de silicone deixam a mama sem nenhuma projeção, o colo fica pouco marcado e a parte de baixo dos seios fica com maior volume, deixando um resultado mais natural. É pouco utilizada na estética, utilizada basicamente em cirurgias para reconstrução em mulheres que tiveram câncer de mama.

 

Protese Silicone Parcial

Prótese parcial ou conformada

Uma prótese parcial é para mulheres que tiveram parte de sua mama removida. É usado dentro de um sutiã e é moldado para preencher o contorno da mama. É feito do mesmo material de silicone que a maioria das próteses completas.

Tamanhos das Prótese de Silicone

 

Como decidir sobre a escolha de do tipo de prótese?

O especialista relara que antes das paciente formarem qualquer opinião sobre qual prótese de silicone deve-se escolher, é preciso pensar nos seguintes fatores que determinarão o melhor tipo de prótese de silicone para cada biotipo: 

  • Biotipo da paciente
  • O tamanho do busto antes da cirurgia
  • Onde o implante será colocado (sob a superfície dos músculos ou subproximação)
  • O local da incisão feita para colocar o implante
  • Custo do implante

 

Somente uma consulta com o cirurgião plástico será fundamental para uma escolha adequada na sua prótese de silicone

Cirurgião Prótese de Mama

Cirurgião Plástico Marco Cassol especialista em Prótese

Saiba mais sobre Marco Cassol, cirurgião plástico e especialista em face feminina

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o cirurgião plástico, pode responder
sobre botox, fios de sustentação da face absorvíveis, silicone nos seios, cirurgia para reduzir as mamas, criolipólise, microlipoaspiração, cirurgia íntima, novidades da área clínica,
procedimentos estéticos, entre outros assuntos. Com mais de 15 anos de experiência, é formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

cirurgião plástico prótese de silicone sp

 

Silicone pelo Umbigo, Aréola, Axila ou Abaixo da Mama

Silicone pelo Umbigo, Aréola, Axila ou Abaixo da Mama

A cirurgia de prótese de silicone nos seios é muito popular entre o público feminino no mundo inteiro, e muito disso se deve ao fato dessa cirurgia ser cada vez mais segura e apresentar sempre novas técnicas para serem realizadas com segurança – assim como  as próteses que oferecem mais conforto e procedimentos mais rápidos e seguros.

Uma coisa que poucas mulheres sabem é que, além da escolha do tamanho do silicone que será implantado nos seios, também é preciso decidir qual será o método utilizado para a realização da incisão da prótese de silicone.

 

amostra da incisão pelo umbigo

Silicone Pelo Umbigo

 

A incisão do silicone pelo umbigo, conhecida como a técnica umbilical, por exemplo, não é muito comum no Brasil, apesar de ser bastante conhecida no USA. Nesse método uma incisão do silicone é colocada na margem do umbigo e, com a ajuda de um endoscópio, são feitos túneis de dissecção que atingem a região mamária, que é descolada para que sejam colocados os implantes.

Porém, o método é realizado apenas para a colocação de próteses de silicone infláveis preenchidas com soro ­fisiológico, e essas muitas vezes não adquirem a mesma consistência da prótese preenchida com gel de silicone. A vantagem dessa forma de operação é que ela pode ser feita em conjunto com a cirurgia de abdominoplastia,  com o benefício de não deixar cicatrizes visíveis nos seios.

 

cicatrizes de incisão periareolar

 

Silicone Pela Aréola 

Outra forma de realizar a cirurgia de implante de silicone é por meio do método Periareolar Inferior, chamado também de “incisão de webster”, que consiste em fazer o procedimento pela aréola. Esse método é ideal para mulheres que precisam de ajustes na reposição superior das aréolas ou em uma mastopexia (quando se deseja elevar as aréolas).

Para Quem é Indicado?

A incisão periareolar,  são indicadas para as pacientes que precisam ter uma aréola de tamanho adequado, – ou seja, não muito pequena, – já que é preciso que a incisão tenha um tamanho adequado. A vantagem desse método é que as cicatrizes ficam quase imperceptíveis, principalmente em mulheres que possuem pouca pigmentação areolar. Além disso, nessa técnica abre-se somente o espaço necessário para caber a prótese, não havendo risco de deslocamentos do implante posteriormente.

Silicone Pela Aréola Pode Amamentar?

 

  • Algumas pacientes podem perder um pouco da sensibilidade nessa região, devido ao corte nos nervos em torno da aréola 
  • Algumas pacientes poderão ter dificuldade na amamentação, com a possibilidade de corte de ductos mamários onde transportam o leite materno

Cicatriz Periareolar: 

A cicatriz de silicone pela aréola fica localizada exatamente no contorno do mamilo (na linha de transição de cor entre a mama e a aréola) e por isso torna-se praticamente invisível. A incisão do silicone pela aréola, será necessário o médico avaliar as condições do biotipo da paciente. 

 

tipos de cicatrizes de silicone

 

Prótese de Silicone e a Incisão Inframamária

Um dos métodos mais utilizado na cirurgia de prótese, é a incisão feita pelo sulco inframamário, já que essa é a região que proporciona a melhor visualização da parte interna da mama e, com isso, traz uma maior facilidade cirúrgica. Nesse caso, é feita a incisão por baixo da mama, na prega infra-mamária, essa é a forma de cirurgia preferida dos cirurgiões plásticos. Muitas vezes esse é o método preferido para introdução de prótese de silicone em gel, já que a incisão é mais favorável por proporcional um acesso maior à área desejada.

 

Para Quem é Indicado?

A vantagem dessa forma de procedimento é que a cicatriz é bem pequena e fica localizada abaixo do sulco mamário, sem mexer nas aréolas. Além disso, por ser uma técnica que agride pouco o tecido mamário, ela não alterna o funcionamento das mamas, ou seja, não interfere em uma futura amamentação. Porém, também existem contra-indicações: pacientes com tendência a queloide, manchas e seios muito pequenos, que não formam o sulco inferior. 

Cicatriz Inframamária:

Garantir o volume máximo dos seios com cicatrizes muito discreta e disfarçada é o objetivo de todo cirurgião plástico. Para isso, na mamoplastia de aumento, o cirurgião geralmente utiliza de uma técnica que permite um corte bem pequeno e bem posicionado, que fica discreto mesmo quando a mama é exposta. 

O cirurgião introduz a prótese de silicone por meio desse pequeno corte e a posiciona no espaço localizado entre a glândula mamária e o músculo, na maioria das vezes. 

 

Silicone pela Axila

O outro procedimento é o axilar, que, como o próprio nome sugere, é realizado por meio da axila. Essa técnica faz a incisão na região axilar. A partir dali, são feitos túneis de dissecção para região medial, preparando o espaço suficiente para a colocação dos implantes mamários.

Para Quem é Indicado?

Ressaltando que não cabe a paciente escolher ou sugerir o método que será utilizado – isso é papel do profissional, que deve fazer uma avaliação completa da situação e optar pela melhor solução em cada caso. Cada paciente possuí um tipo físico diferente, e é a partir disso o cirurgião analisa qual será o melhor método para cada pessoa, assim como o tamanho de prótese que será utilizado.

Cicatriz Axilar:

Porém, essa não é um procedimento muito utilizado, já que quando a paciente levanta os braços, é possível perceber a presença de cicatriz do implante de prótese. Além de ser um método mais complicado, pois a distância da mama dificulta a visualização e possibilita maior sangramento e hematomas, além de ter maior incidência de assimetria e de infecções.

 

VEJA TAMBÉM:

Tipos de Prótese de Silicone – Do Tradicional ao de Chip

Clínica para Cirurgia de Prótese de Silicone

É fundamental que a clínica para realizar a sua avaliação de cirurgia de prótese de silicone, seja registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e tenha toda a estrutura hospitalar para a realização da mesma.

Porém, no caso das cirurgias de prótese de silicone devem ser realizadas em hospitais de convênio com o Cirurgião Plástico, oferecendo toda segurança para a paciente. 

 

Agende uma avaliação para sua Cirurgia de Prótese de Silicone em SP com o Dr. Marco Cassol e saiba mais sobre esses cuidados oferecidos pelo cirurgião plástico com mais de 15 anos de experiência.

prótese de silicone em sp

 

Prótese de Silicone – Mitos e Verdades

Prótese de Silicone – Mitos e Verdades

Que tal descobrir um pouco mais sobre essa cirurgia de prótese de silicone hoje?

1. Prótese de Silicone atrapalha a amamentação:

MITO! A técnica cirúrgica está evoluída e podemos posicionar a prótese de modo que não atrapalhe o aleitamento materno.

 

2. Se eu fizer a cirurgia de prótese vou perder a sensibilidade:

MITO! O descolamento de pele pode levar a uma perda temporária da sensibilidade nas aréolas. Isso é revertido espontaneamente em até oito meses.

 

3. A prótese atrapalha a mamografia:

MITO. Só será preciso contar ao técnico que tem a prótese para que ele saiba posicionar o aparelho. De resto, continua sendo seguro e não vai esconder informações sobre a sua saúde.

 

4. Precisa trocar a prótese de silicone:

VERDADE. A maioria dos fabricantes estipula prazo de dez anos, mas podemos fazer o acompanhamento anual para ver o estado da mesma e antecipar ou atrasar a cirurgia.

 

5. Se a prótese de silicone romper, vai vazar no corpo:

MITO. A maioria das próteses usadas são de gel. Dessa forma, mesmo que se rompam, não escorrem.

 

6. Todo mundo vai saber que coloquei prótese de silicone:

DEPENDE. Isso só vai ocorrer se você contar ou se optar por uma prótese que deixe bem evidente seu novo visual.

 

7. Posso escolher o tamanho que eu quiser para a prótese:

MITO. Essa decisão deve ser tomada em conjunto com o cirurgião plástico, que é quem vai orientar sobre o melhor tamanho e formato para seu biótipo e expectativa.

 

8. Tem gente que não pode colocar prótese de silicone:

VERDADE! adolescentes que ainda não estão com as mamas plenamente desenvolvidas, gestantes, lactantes, além de mulheres que tenham alguma enfermidade que vá colocar sua vida em risco com o procedimento, como alguns tipos de câncer, de cardiopatia, de doenças imunossupressoras, entre outras.

mito ou verdade protese de silicone

 

9. Prótese de Silicone causa câncer:

MITO! Muitas mulheres ainda têm dúvidas se a cirurgia de aumento das mamas pode desencadear ou mascarar os sintomas da doença. A verdade é que, desde 2013 o INCA conclui que não há evidência científica que ligue a prótese de silicone ao surgimento do câncer de mama. A mamografia e o autoexame também não são prejudicados por causa da prótese.

 

A cirurgia de prótese de silicone sempre traz muitas dúvidas às pacientes e o Dr. Google não costuma ajudar muito a esclarecê-las. O ideal, realmente, é buscar a orientação do seu cirurgião plástico de confiança.

 

Leia mais:

Um Guia Completo sobre Prótese de SIlicone

Clínica de Cirurgia de Prótese de Silicone em SP

 

 

Cirurgia Plástica de Mama – Mamoplastia de Aumento – Redutora – Reconstrutora

No Brasil aumenta a cada ano as cirurgia plastica nos seios, pois se tornou a cirurgia queridinhas das brasileiras, isso se explica pelo fato de os seios serem muito ligados à feminilidade, sexualidade e a sensualidade da mulher.

 

Existem três categorias gerais de cirurgia plástica realizada nos seios (também chamada mamoplastia): aumento de mama, redução de mama e reconstrução de mama.

 

 

Seios após a mamoplastia de aumento

Aumento de Mama (Mamoplastia de Aumento)

Aumento de Mama (Mamoplastia de aumento) Aumento de mama é realizado para melhorar a aparência, tamanho e contorno dos seios de uma mulher. As mulheres consideram o aumento do peito por muitas razões diferentes. Algumas mulheres sentem que seus seios são pequenos demais. Alguns desejam aumentar depois que seus seios mudam depois da gravidez. Outros desejam corrigir uma assimetria no tamanho dos seios. 

A mamoplastia de aumento é realizada com implantes (veja abaixo) que podem ser colocados sob um músculo peitoral ou sobre um músculo peitoral. A incisão pode ser colocada na axila (axila), aréola (a área ao redor do mamilo) ou na dobra inferior da mama. Em geral, todos os aumentos de mama são procedimentos minimamente invasivos. Para aumentos em que a incisão é feita na axila, um endoscópio (tubo fino com uma pequena câmera e luz) pode ser usado durante o procedimento.

Os implantes mamários são constituídos por um invólucro de silicone preenchido com solução salina (solução salina) ou gel de silicone. Uma mulher determina seu tamanho desejado, ajustando os implantes de teste. Atualmente, implantes cheios de solução salina são usados ​​de forma irrestrita. Os implantes preenchidos com gel de silicone, uma vez proibidos pela FDA, estão disponíveis apenas para mulheres que participam de estudos aprovados.

Aumento de mama é um procedimento relativamente simples. Como em qualquer cirurgia, algumas incertezas e riscos são esperados. Conheça suas preocupações e expectativas. Revise os benefícios, riscos e alternativas.

Procure consulta com um cirurgião plástico certificado, veja mais sobre Dr. Marco Cassol  

cirurgião plástico mamoplastia sp

Mamoplastia Redutora

 

Cirurgia de redução de mama é freqüentemente usada em mulheres com seios grandes e pesados ​​que experimentam desconforto significativo, incluindo dor no pescoço, dor nas costas e dormência ou fraqueza devido ao peso das mamas.

Durante este procedimento, o excesso de pele, gordura e tecido mamário são removidos. Após a cirurgia, a redução dos seios pode causar uma mudança na sensação da mama, bem como a incapacidade de amamentar.

Após a redução das mamas, a maioria das mulheres relata alívio dos sintomas causados ​​por ter seios grandes demais. Para mais informações sobre este tópico, consulte o artigo sobre mamoplastia redutora.

A cirurgia plástica redução de mama remove o excesso de gordura, o tecido glandular e a pele para atingir um tamanho de mama proporcional com o seu corpo e aliviar o desconforto associado com seios muito grandes.

 

Mamoplastia Redutora Valor

 

 

Para muitas pacientes, o valor da cirurgia da mamoplastia de redução e demais cirurgias eletivas é uma consideração. Os honorários de um cirurgião plástico podem variar com base em fatores como a experiência e o tipo de procedimento realizado.

 

O valor da mamoplastia pode incluir:

 

  • Honorários do cirurgião;
  • Custos hospitalares e de centro cirúrgico;
  • Honorários do anestesista;
  • Medicamentos prescritos;
  • Malhas de uso no pós-operatório;
  • Exames médicos.

 

 

Prótese de Silicone – Cirurgia da Mama – Aumento dos Seios – Quanto Custa?

 

Rejeição da Prótese de Silicone – Endurecimento Das Mamas

 

Prótese de Silicone – Qual é a diferença entre reconstrutiva e estética?

 

Prótese de Mama

Prótese de Mama

A utilização de prótese de silicone é indicada quando o volume da mama for insuficiente. Serve também para dar uma boa projeção da mama.Também é indicada em certos tipos de ptose de mama (mama caída em grau bem leve) e na mastopexia (retirada de pele em excesso na mama por flacidez), para promover um bom preenchimento da mama.

Atualmente, no mercado brasileiro há próteses de excelente qualidade (certificadas pela ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária e INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e com mínimas possibilidades de rejeição. As próteses são protegidas por uma capa que possui capacidade para sofrer fortes traumas sem haver ruptura.

A cirurgia não interfere na amamentação. As alterações de sensibilidade da mama podem ocorrer e normalmente resolvem espontaneamente em até 4 meses. Tanto na redução quanto no aumento da mama estas duas funções são preservadas.


Cirurgia de Prótese de Mama – TIPO DE ANESTESIA:

  • Local com sedação ou peridural com sedação.
  • TEMPO DE RECUPERAÇÃO:
  • De 6 a 12 horas.

Cirurgia de Prótese de Mama – COMPLICAÇÕES:

A complicação mais freqüente é o endurecimento de mama no pós-operatório tardio (após um ano). Isto pode ser evitado com a massagem precoce da mama, nos seis meses seguintes à cirurgia.

RESULTADO DEFINITIVO:

O resultado já é perceptível logo no pós operatório. Já na primeira semana já ocorre redução do edema (inchaço) decorrente da cirurgia e logo a cicatrização se inicia

APÓS A CIRURGIA DE PRÓTESE DE MAMA:

  • Repouso relativo nas primeiras 48 horas; não deitar de lado, nem de bruços.
  • Usar sutiã modelador adequado.
  • Pode tomar banho de chuveiro sem retirar as fitas adesivas.
  • As fitas adesivas podem ser mantidas por 60 dias. Se sujar ou apresentar secreções, trocá-las.
  • Curativo será retirado em 1 semana.
  • Os pontos serão retirados em 2 semanas.
  • Depilação das axilas com cera, após 3 semanas.

É freqüente, no primeiro mês, a diferença de volume entre as mamas

Cirurgia de Prótese de Mama – Recomenda-se evitar:

  • Dirigir nas três primeiras semanas.
  • Fumar durante as primeiras duas semanas.
  • Tomar banho de imersão por duas semanas.
  • Cometer excessos, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente pelo menos por quatro semanas.
  • Dormir de bruços por três semanas.
  • Expor-se ao sol ou ao calor excessivo por quatro semanas.
  • Fazer exercícios ou praticar esportes que exijam a extensão dos braços como golfe, natação, vôlei e outros por pelo menos 60 dias.

Conheça um pouco mais sobre a cirurgia plástica de próteses de silicone:

1) Indicação

A mamoplastia de aumento é uma cirurgia plástica para aumento das mamas. As mamas são o símbolo máximo da feminilidade e o órgão sexual externo feminino. Como tal, tem relevância psicológica imponente e pode contribuir para melhora da auto-estima da paciente. Não existe um limite Maximo de idade. A condição clinica da paciente é que poderá limitar a realização da cirurgia em uma idade mais avançada. Nos pacientes muito jovens deve-se respeitar o período de 4 anos após a menarca (primeira menstruação) para realização de qualquer procedimento na mama (inclusive implante de protese de silicone). Este tempo, 4 anos, é para aguardar a maturação do sistema endócrino (hormonal) da paciente, já que a mama é uma glândula (glândula mamária).

2) Contra-Indicação

A principal contra-indicação é a ptose mamaria (queda da mama). A colocação da protese não corrige a flacidez. Nestes casos é necessária a retirada da pele em excesso, montagem da mama (mastopexia) e inclusão da protese. Outra contra-indicação é paciente com doença crônica descompensada. Entre elas, doenças auto-imunes (lupus eritematoso sistêmico e outras), diabete, hipertensão, desnutrição pós gastroplastia (redução do estômago), anemia.

3) Preço

O valor e a forma de pagamento desses valores devem ser discutidos com o seu cirurgião plástico. O custo certamente não deve ser o fator mais importante para sua decisão. A indicação de pessoas que já realizaram a cirurgia, sua relação de empatia com seu cirurgião plástico, um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e um local adequado para a realização da sua cirurgia devem ser os itens de maior peso na hora da escolha.

4) Vias de Acesso e Técnica a ser Escolhida

A incisão para colocação da protese de silicone pode ser por via sulco inframamário, via areolar ou via axilar. A melhor cicatrização é por via inframamária. A incisão (cicatriz) mede de 3 a 5 cm dependendo do tamanho da protese a ser introduzida. A técnica usada para inclusão da protese de silicone é por via Submuscular (embaixo do musculo) ou subfascial (em cima do musculo) ou subglandular (em cima do musculo). A mais usada é a subglandular, mas existe indicação especifica para o uso de outra técnica em alguns pacientes.

5) Formato

O formato existente é anatômico (em gota) ou redondo. A protese anatômica fornece um resultado mais natural, mas pouca projeção do pólo superior, que é desejado pela maioria das pacientes. A prótese de silicone mais usada possui formato redondo, texturizado, perfil alto e gel de silicone altamente coesivo.

Além da protese texturizada existem a protese de superfície lisa (muito pouco usada pela possibilidade aumentada de retração capsular) e a protese de poliuretano. A diminuição do seio mamário (distância entre as mamas) e aproximação dos mamilos, desejada por muitas pacientes, deve ser discutida com seu cirurgião plástico.

6) Tamanho da Prótese de Silicone

As próteses variam de 50ml a 800ml. Os volumes mais utilizados aqui no Brasil variam entre 260, 280 ou 300 ml. Próteses de 350 ml são consideradas grandes. Próteses de mama menores que 200 ml não são comumente usadas porque as pacientes referem um resultado de projeção mamária insatisfatório.

Próteses de silicone mamária muito grandes, desproporcionais para altura da paciente e tamanho do tórax, geralmente maiores que 400 ou 450 ml, resultam em ptose mamária (queda da mama) e podem causar problemas na coluna.

O risco de formação de estrias na pele da mama só ocorre na inclusão de prótese muito grande. Devemos colocar implantes de silicone muito grandes somente em pacientes que já possuam próteses menores (troca de protese) e que tenham certeza que desejam aumentar a mama, conscientes das implicações.

7) Durabilidade da Prótese de Silicone

As fábricas de próteses de silicone fornecem certificados de garantia permanentes, mas uma postura ética do cirurgião plástico é colocar para a paciente que a protese é um corpo estranho e, como tal, possui uma durabilidade. A orientação para os pacientes, fornecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é que a durabilidade da prótese é de 10 anos. Isso não implica necessariamente em troca da protese depois de 10 anos, mas orienta o paciente que a prótese é um corpo estranho e como tal tem suas complicações.

8) Complicações com a Prótese

A complicação mais freqüente da mamoplastia de aumento com inclusão de protese de silicone é a retração capsular. É representada pelo endurecimento da mama em torno de 1 ano após a cirurgia. Inicialmente o tratamento é realizado com massagens especificas e uso de vitamina E. Nos casos que não se obtém resolução está indicada uma nova cirurgia para retirada desta cápsula exacerbada que se formou em torno da protese.

9) Prótese de Silicone e a Amamentação

A inclusão de protese de mama não modifica a função de amamentação da mama. Nas pacientes em que o estímulo hormonal é muito intenso as mama aumentam muito durante a lactação. Nestes casos, após a lactação, a mama pode ficar ptosada (caída). Podemos então retirar o excesso de pele e reposicionar a mama e o complexo aréolo mamilar. A simples troca por uma prótese de volume maior, geralmente não resolve o problema de queda da mama. Alteração da sensibilidade da mama pós-cirurgia não é freqüente. Quando acontecem, geralmente ocorre a diminuição da sensibilidade (hipoestesia). Raramente pode ocorrer aumento da sensibilidade (hiperestesia). Na maioria dos casos ocorre resolução espontânea até 4 meses após a cirurgia.

10) Local Adequado para a Realização da Cirurgia de Prótese

O procedimento deve ser realizado num serviço com estrutura hospitalar para atendimento de emergências, com suporte de UTI, equipamentos e profissionais especializados.

11) Anestesia

Geralmente é usada anestesia local com sedação ou peridural alta com sedação. Anestesistas com experiência em cirurgias plásticas realizam anestesia peridural alta, tipo de anestesia pouco usada em outras especialidades cirúrgicas. Raramente utilizam anestesia geral que impõe um risco anestésico maior e uma recuperação pós-anestésica mais desconfortável para o paciente.

12) Riscos da Cirurgia

Como em qualquer procedimento cirúrgico existe risco. O importante é minimização desse risco através de uma boa consulta com seu cirurgião antes da cirurgia. Conte seu histórico médico.

A realização dos exames pré-operatórios auxilia na exclusão de doenças não diagnosticadas até então. Seguir as orientações do seu medico antes da cirurgia em relação a jejum, menstruação, medicações de uso continuo (antidiabético, anti hipertensivo, anti concepcional), medicações anticoagulantes (suspensao do uso de AAS, ginko biloba, ginseng, vitamina E). Seguir as orientações específicas após a cirurgia. Uso de sutiã modelador e realização de drenagens linfáticas pós-operatórias.

13) Cicatrização

Ate 1 mês. Pós-operatório precoce. Diminuição importante do desconforto. Diminuição do edema (inchaço). Desaparecimento das equimoses (roxos) De 1 mês a 4 meses. Resultado mais natural. Realização das fotos de antes e depois. Suspenso uso do sutiã modelador.

4 meses a 2 anos. Pós-operatório tardio. A cicatriz reduzida da incisão volta ter a mesma coloração da pele normal. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo, o resultado definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade).

14) Cicatrizes Hipertróficas e Quelóides

As cicatrizes hipertróficas podem ser tratadas com uso de placa de silicone (período mínimo 2 meses) e cremes. Já o tratamento do quelóide é mais complicado. Pode-se organizar com antecedência a realização de betaterapia (radioterapia superficial específica para tratamento de quelóide).

A betaterapia é realizada em centros de radioterapia. São realizadas 10 sessões em dias consecutivos com inicio no dia da cirurgia. Existem outros tratamentos para o quelóide com infiltrações (injeções) de medicações durante a cirurgia e no consultório após a cirurgia.

15) Orientação Pós-Operatórias

Repouso relativo nos primeiros 2 dias. Não deitar de lado ou de bruços. Usar sutiã modelador adequado por 45 dias. Pode tomar banho de chuveiro, mas sem retirar os curativos. Os micropores podem ser mantidos por 30 dias. O primeiro curativo será trocado no consultório.

Os pontos são internos com fio absorvível (monocryl), mas quando há necessidade de pontos externos, estes serão retirados em 15 dias. Depilação com cera das axilas após 21 dias. É freqüente, no primeiro mês, a diferença de volume entre as mamas.

Recomenda-se evitar:

Dirigir carro nas 3 primeiras semanas. Fumar durante 2 semanas. Tomar banho de piscina por 2 semanas. Cometer exageros, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente pelo menos por 1 mês. Dormir de bruços por 3 semanas. Tomar sol ou calor excessivo por 1 mês. Fazer exercícios com a extensão dos braços por 4 semanas. Academia por 6 semanas.

Leia mais sobre – Prótese de Silicone

Prótese de Glúten – O Silicone no Bumbum

Prótese de Glúten – O Silicone no Bumbum

 

gluteoplastia é a cirurgia plástica  que visa colocar um implante de silicone para aumentar o tamanho do bumbum e também modelar o formato dos glúteos. Também conhecida como gluteoplastia de aumento.

O implante é realizado com anestesias locais (raqui ou peridural) ou anestesia geral.

O procedimento exige ao menos um dia de internação e deve ser realizado em ambiente cirúrgico, com duração aproximada de uma hora e meia.

É realizada uma incisão com cerca de cinco a seis centímetros no sulco vertical que fica entre os glúteos, e através desta são introduzidos os implantes direito e esquerdo.

A prótese é posicionada dentro do músculo glúteo maior, numa posição anatômica. Por ser um local de pouca visibilidade, exatamente entre as nádegas, é difícil observar a cicatriz, que fica na altura do cóccix.

A prótese  de silicone também pode ser posicionada abaixo do músculo, no entanto, o resultado é esteticamente inferior e, por isso, a técnica é pouco utilizada.

 

SILICONE NO BUMBUM – PARA QUEM SERVE?

Em casos em que o “bumbum” apresenta formato inexpressivo, pouco volumoso ou achatado com pequena queda.

Pacientes magras que não possuem gordura localizada para ser retirada, tratada e colocada como enxerto na região glútea também podem se beneficiar da prótese glútea.

A escolha do formato e do volume das próteses mais adequadas para cada caso depende do exame clinico (avaliação do médico). As limitações e a correta indicação da prótese vão ser discutidas e definidas pelo médico junto ao paciente.

TIPO DE ANESTESIA
Geralmente a anestesia é peridural com sedação.

TEMPO DE INTERNAÇÃO
Geralmente 12 horas.

COMPLICAÇÕES
A complicação mais freqüente é a formação de seroma.

A permanência do dreno no pós operatorio é muito importante para evitar este acúmulo de líquido.

Pode haver certa dormência e endurecimento da região glútea que desaparece gradativamente.

Havendo aparecimento de rubor (vermelhidão), calor na pele tratada ou febre comunicar-se com o médico imediatamente.

RESULTADO DEFINITIVO
Aproximadamente 3 meses.

APÓS A CIRURGIA:

  • Manter repouso relativo por três dias.
  • Evitar sentar.
  • Usar modelador por trinta dias.

Nos primeiros dez dias evitar subir escadas, erguer os braços e sentar sobre a prótese. A retirada do dreno ocorre no final da primeira ou segunda semana.

  • Após a retirada do dreno, os curativos do dreno e da cicatriz podem ser trocados diariamente.
  • Nas primeiras 4 semanas deitar de bruços.
  • Tomar banho sem retirar o micropore.
  • Não fumar nas primeiras semanas.
  • Não dirigir automóvel por três semanas.
  • Não se expor ao sol ou ao calor excessivo por quatro semanas.
  • Não praticar esportes ou exercícios físicos por seis semanas.
  • Depilação com cera três semanas depois.

 

[ratingwidget_toprated type=”posts” created_in=”all_time” direction=”ltr” max_items=”3″ min_votes=”1″ order=”DESC” order_by=”avgrate”]

×
Olá!
Gostaria de tirar alguma dúvida com o Dr. Marco??
EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish