+55 (11) 94062-7019 Atendimento@marcocassol.com.br
Escolha uma Página
Ginecomastia

Ginecomastia

INDICAÇÃO:

É o aumento da glândula mamária que ocorre na maioria dos adolescentes normais (7 em cada 10 meninos). Muitas vezes provoca ansiedade nos pacientes pela vergonha de tirar a camisa e serem estigmatizados pelo aumento das mamas. O formato mamário feminino no homem é uma causa importante de vergonha e inibição.
A ginecomastia é, na maioria dos casos, uma condição benigna, tratável e corrigível.
O aumento de apenas uma das mamas é mais freqüente, mas pode ocorrer bilateralmente.
O estresse psicológico é a razão principal para a indicação cirúrgica.
A investigação do uso de algumas drogas (diurético espironolactona, esteróides anabolizantes, excesso de ingestão de bebidas alcoólicas ou maconha, por exemplo) é importante.
Muitos pacientes necessitam de uma investigação clinica endocrinológica quando a ginecomastia está associada a outros sinais e sintomas.
O aumento de tamanho das glândulas pode trazer dor local de pequena intensidade ou uma maior sensibilidade na região (ao roçar da roupa, por exemplo).
Lipoaspiração é um procedimento auxiliar no refinamento dos resultados, mas em poucos pacientes pode ser usado como procedimento exclusivo.

TIPO DE ANESTESIA
Geralmente a anestesia é local com sedação ou peridural com sedação.

TEMPO DE INTERNAÇÃO
6 a 12 horas.

COMPLICAÇÕES
Seroma (acúmulo de líquidos) no local da cirurgia é freqüente.

RESULTADO DEFINITIVO
• É alcançado em cerca de 3 meses após a cirurgia.

APÓS A CIRURGIA
• Repouso relativo nas primeiras 48 horas; não deitar nem de lado nem de bruços.
• Pode tomar banho de chuveiro sem retirar as fitas adesivas.
• Curativo será trocado em 1 semana.
• Antibiótico recomendado deverá ser ingerido por 1 semana.
• O uso do dreno por 7 a 10 dias após o procedimento cirúrgico é muito importante para evitar-se o acúmulo de líquido (seroma).
• O modelador (cinta cirúrgica) deve ser usado por 1 mês após a cirurgia para compressão da área lipoaspirada.
• As fitas adesivas podem ser mantidas por 60 dias. Se sujar ou apresentar secreções, trocá-las.

Recomenda-se evitar:

Dirigir nas três primeiras semanas.
Fumar durante as primeiras duas semanas.
Tomar banho de imersão por duas semanas.
Cometer excessos, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente pelo menos por quatro semanas.
Dormir de bruços por três semanas.
Expor-se ao sol ou ao calor excessivo por quatro semanas.
Fazer exercícios ou esportes que exijam a extensão dos braços (golfe, natação, etc) por 60 dias.

Redução da Mama

Redução da Mama

 

Durante a puberdade as mamas são firmes devido à rigidez da glândula e quantidade desta. Entretanto, com o passar do tempo a quantidade de glândula diminui, aumenta a porcentagem de gordura e a tendência à ptose mamária (queda da mama). A gravidez é um dos fatores que mais aceleram este processo.
O objetivo da mamoplastia é retirar esse excesso de gordura, pele e tecido mamário e suspender a mama novamente. Especialmente indicada para mamas excessivamente grandes ou flácidas.

TIPO DE ANESTESIA
Peridural com sedação.

TEMPO DE INTERNAÇÃO
Geralmente 12 horas.

COMPLICAÇÕES
São raras, mas pode ocorrer hematoma, infecção, deiscência (abertura de pontos cirúrgicos, as suturas), quelóides (cicatrizes proeminentes que dependem de predisposição genética do paciente), falta de vascularização da pele (em fumantes).

RESULTADO DEFINITIVO
Nos primeiros meses a cicatriz ficará avermelhada, tornando a clarear normalmente com o tempo.

Após a cirurgia a parte inferior da mama ficar

APÓS A CIRURGIA:

Repouso relativo nas primeiras 48 horas;
Não deitar de lado nem de bruços.
Usar sutiã modelador adequado.
Pode tomar banho de ducha sem retirar as fitas adesivas.
As fitas adesivas podem ser mantidas por 60 dias. Se sujar ou apresentar secreções, trocá-las.
Curativo será retirado em 1 semana.
Os pontos serão retirados em 2 semanas.
Depilação das axilas com cera, somente após 3 semanas.
É freqüente a diferença de volume entre as mamas no primeiro mês devido a inchaço decorrente da própria cirurgia.

Recomenda-se evitar:

  • Dirigir nas três primeiras semanas.
  • Fumar durante as primeiras duas semanas.
  • Tomar banho de imersão por duas semanas.
  • Cometer excessos, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente por pelo menos quatro semanas.
  • Dormir de bruços por três semanas.
  • Expor-se ao sol ou ao calor excessivo por quatro semanas.
  • Fazer exercícios ou praticar esportes, principalmente os que exijam a extensão dos braços como golfe, natação, vôlei e outros por 60 dias.
Aumento Sem Prótese

Aumento Sem Prótese

Aumento das mamas ou Lipofilling dos seios ou Aumento dos seios sem prótese de silicone ou aumento dos seios com gordura. Cirurgia indicada para correção de próteses de mama que estão muito superficiais (aparência artificial) ou para pequenos aumentos da mama. Cirurgia muito segura.

Resultado muito natural e permanente. Técnicas mais antigas, realizavam grandes enxertos de gordura na mama e muitas vezes ficam cicatrizes internas (calcificações). Estas calcificações podiam ser confundidas com nódulos suspeitos de serem câncer de mama. Ou seja, os procedimentos de aumento de mama foram suspensos e proibidos por 30 anos.

Atualmente, induzidos pelos muitos estudos atuais de células tronco de gordura, surgiram novas técnicas de aumento de mama com enxerto de gordura. Técnicas seguras e que proporcionam resultados permanentes, mas nunca com grandes projeções da mama como as projeções da inclusão da prótese de silicone.
Uma lipoaspiração de alguma região do corpo (abdome, coxas, joelhos, braços) proporciona o tecido gorduroso a ser tratado para realização do enxerto na mama. Deste lipoaspirado retiramos todas as impurezas: óleo, sangue, solução vasoconstritora, células não viáveis. Assim obtemos o tecido gorduroso a ser recolocado na mama.
Realizamos 2 furinhos na região da transição da aréola mamária com a pele. Às 12h e às 6h.
Recolocamos por injeção retrógrada com seringas de 10 ml cerca de 24 seringas na região subcutânea (logo abaixo da pele).
Ocorre a reabsorção de cerca de 20% do total de tecido enxertado. O restante do enxerto proporciona um resultado permanente (quando o paciente engorda, a mama aumenta. quando o paciente emagrece, a mama diminui).
Após a cicatrização não existe nenhuma restrição para o paciente.
Prótese de Silicone

Prótese de Silicone

INDICAÇÃO:

A utilização de prótese de silicone é indicada quando o volume da mama for insuficiente. Serve também para dar uma boa projeção da mama.Também é indicada em certos tipos de ptose de mama (mama caída em grau bem leve) e na mastopexia (retirada de pele em excesso na mama por flacidez), para promover um bom preenchimento da mama.

Atualmente, no mercado brasileiro há próteses de excelente qualidade (certificadas pela ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária e INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e com mínimas possibilidades de rejeição.

As próteses são protegidas por uma capa que possui capacidade para sofrer fortes traumas sem haver ruptura.

A cirurgia não interfere na lactação. As alterações de sensibilidade da mama podem ocorrer e normalmente resolvem espontaneamente em até 4 meses

Tanto na redução quanto no aumento da mama estas duas funções são preservadas.

TIPO DE ANESTESIA:

Local com sedação ou peridural com sedação.

TEMPO DE RECUPERAÇÃO:

De 6 a 12 horas.

COMPLICAÇÕES:

A complicação mais freqüente é o endurecimento de mama no pós-operatório tardio (após um ano). Isto pode ser evitado com a massagem precoce da

mama, nos seis meses seguintes à cirurgia.

RESULTADO DEFINITIVO:

O resultado já é perceptível logo no pós operatório. Já na primeira semana já ocorre redução do edema (inchaço) decorrente da cirurgia e logo a cicatrização se inicia

APÓS A CIRURGIA:

Repouso relativo nas primeiras 48 horas; não deitar de lado, nem de bruços.

Usar sutiã modelador adequado.

Pode tomar banho de chuveiro sem retirar as fitas adesivas.

As fitas adesivas podem ser mantidas por 60 dias. Se sujar ou apresentar secreções, trocá-las.

Curativo será retirado em 1 semana.

Os pontos serão retirados em 2 semanas.

Depilação das axilas com cera, após 3 semanas.

É freqüente, no primeiro mês, a diferença de volume entre as mamas.

Recomenda-se evitar:

Dirigir nas três primeiras semanas.

Fumar durante as primeiras duas semanas.

Tomar banho de imersão por duas semanas.

Cometer excessos, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente pelo menos por quatro semanas.

Dormir de bruços por três semanas.

Expor-se ao sol ou ao calor excessivo por quatro semanas.

Fazer exercícios ou praticar esportes que exijam a extensão dos braços como golfe, natação, vôlei e outros por pelo menos 60 dias.

Conheça um pouco mais sobre a cirurgia plástica de próteses de silicone:

01. Indicação

02. Contra-Indicação

03. Preço

04. Vias de Acesso e Técnica a ser Escolhida

05. Formato

06. Tamanho

07. Durabilidade

08. Complicações

09. Amamentação

10. Local Adequado para a Realização da Cirurgia

11. Anestesia

12. Riscos

13. Cicatrização

14. Cicatrizes Hipertróficas e Quelóides

15. Orientação Pós-Operatórias

1) Indicação

A mamoplastia de aumento é uma cirurgia plástica para aumento das mamas. As mamas são o símbolo máximo da feminilidade e o órgão sexual externo feminino. Como tal, tem relevância psicológica imponente e pode contribuir para melhora da auto-estima da paciente. Não existe um limite Maximo de idade. A condição clinica da paciente é que poderá limitar a realização da cirurgia em uma idade mais avançada. Nos pacientes muito jovens deve-se respeitar o período de 4 anos após a menarca (primeira menstruação) para realização de qualquer procedimento na mama (inclusive implante de protese de silicone). Este tempo, 4 anos, é para aguardar a maturação do sistema endócrino (hormonal) da paciente, já que a mama é uma glândula (glândula mamária).

2) Contra-Indicação

A principal contra-indicação é a ptose mamaria (queda da mama). A colocação da protese não corrige a flacidez. Nestes casos é necessária a retirada da pele em excesso, montagem da mama (mastopexia) e inclusão da protese. Outra contra-indicação é paciente com doença crônica descompensada. Entre elas, doenças auto-imunes (lupus eritematoso sistêmico e outras), diabete, hipertensão, desnutrição pós gastroplastia (redução do estômago), anemia.

3) Preço

O valor e a forma de pagamento desses valores devem ser discutidos com o seu cirurgião plástico. O custo certamente não deve ser o fator mais importante para sua decisão. A indicação de pessoas que já realizaram a cirurgia, sua relação de empatia com seu cirurgião plástico, um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e um local adequado para a realização da sua cirurgia devem ser os itens de maior peso na hora da escolha.

4) Vias de Acesso e Técnica a ser Escolhida

A incisão para colocação da protese de silicone pode ser por via sulco inframamário, via areolar ou via axilar. A melhor cicatrização é por via inframamária. A incisão (cicatriz) mede de 3 a 5 cm dependendo do tamanho da protese a ser introduzida. A técnica usada para inclusão da protese de silicone é por via Submuscular (embaixo do musculo) ou subfascial (em cima do musculo) ou subglandular (em cima do musculo). A mais usada é a subglandular, mas existe indicação especifica para o uso de outra técnica em alguns pacientes.

5) Formato

O formato existente é anatômico (em gota) ou redondo. A protese anatômica fornece um resultado mais natural, mas pouca projeção do pólo superior, que é desejado pela maioria das pacientes. A prótese de silicone mais usada possui formato redondo, texturizado, perfil alto e gel de silicone altamente coesivo. Além da protese texturizada existem a protese de superfície lisa (muito pouco usada pela possibilidade aumentada de retração capsular) e a protese de poliuretano. A diminuição do seio mamário (distância entre as mamas) e aproximação dos mamilos, desejada por muitas pacientes, deve ser discutida com seu cirurgião plástico.

6) Tamanho

As próteses variam de 50ml a 800ml. Os volumes mais utilizados aqui no Brasil variam entre 260, 280 ou 300 ml. Próteses de 350 ml são consideradas grandes. Próteses de mama menores que 200 ml não são comumente usadas porque as pacientes referem um resultado de projeção mamária insatisfatório. Próteses de silicone mamária muito grandes, desproporcionais para altura da paciente e tamanho do tórax, geralmente maiores que 400 ou 450 ml, resultam em ptose mamária (queda da mama) e podem causar problemas na coluna. O risco de formação de estrias na pele da mama só ocorre na inclusão de protese muito grande. Devemos colocar implantes de silicone muito grandes somente em pacientes que já possuam próteses menores (troca de protese) e que tenham certeza que desejam aumentar a mama, conscientes das implicações.

7) Durabilidade

As fábricas de próteses de silicone fornecem certificados de garantia permanentes, mas uma postura ética do cirurgião plástico é colocar para a paciente que a protese é um corpo estranho e, como tal, possui uma durabilidade. A orientação para os pacientes, fornecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é que a durabilidade da prótese é de 10 anos. Isso não implica necessariamente em troca da protese depois de 10 anos, mas orienta o paciente que a prótese é um corpo estranho e como tal tem suas complicações.

8) Complicações

A complicação mais freqüente da mamoplastia de aumento com inclusão de protese de silicone é a retração capsular. É representada pelo endurecimento da mama em torno de 1 ano após a cirurgia. Inicialmente o tratamento é realizado com massagens especificas e uso de vitamina E. Nos casos que não se obtém resolução está indicada uma nova cirurgia para retirada desta cápsula exacerbada que se formou em torno da protese.

9) Amamentação

A inclusão de protese de mama não modifica a função de amamentação da mama. Nas pacientes em que o estímulo hormonal é muito intenso as mama aumentam muito durante a lactação. Nestes casos, após a lactação, a mama pode ficar ptosada (caída). Podemos então retirar o excesso de pele e reposicionar a mama e o complexo aréolo mamilar. A simples troca por uma prótese de volume maior, geralmente não resolve o problema de queda da mama. Alteração da sensibilidade da mama pós-cirurgia não é freqüente. Quando acontecem, geralmente ocorre a diminuição da sensibilidade (hipoestesia). Raramente pode ocorrer aumento da sensibilidade (hiperestesia). Na maioria dos casos ocorre resolução espontânea até 4 meses após a cirurgia.

10) Local Adequado para a Realização da Cirurgia

O procedimento deve ser realizado num serviço com estrutura hospitalar para atendimento de emergências, com suporte de UTI, equipamentos e profissionais especializados.

11) Anestesia

Geralmente é usada anestesia local com sedação ou peridural alta com sedação. Anestesistas com experiência em cirurgias plásticas realizam anestesia peridural alta, tipo de anestesia pouco usada em outras especialidades cirúrgicas. Raramente utilizam anestesia geral que impõe um risco anestésico maior e uma recuperação pós-anestésica mais desconfortável para o paciente.

12) Riscos

Como em qualquer procedimento cirúrgico existe risco. O importante é minimização desse risco através de uma boa consulta com seu cirurgião antes da cirurgia. Conte seu histórico médico. A realização dos exames pré-operatórios auxilia na exclusão de doenças não diagnosticadas até então. Seguir as orientações do seu medico antes da cirurgia em relação a jejum, menstruação, medicações de uso continuo (antidiabético, anti hipertensivo, anti concepcional), medicações anticoagulantes (suspensao do uso de AAS, ginko biloba, ginseng, vitamina E). Seguir as orientações específicas após a cirurgia. Uso de sutiã modelador e realização de drenagens linfáticas pós-operatórias.

13) Cicatrização

Ate 1 mês. Pós-operatório precoce. Diminuição importante do desconforto. Diminuição do edema (inchaço). Desaparecimento das equimoses (roxos)

De 1 mês a 4 meses. Resultado mais natural. Realização das fotos de antes e depois. Suspenso uso do sutiã modelador.

4 meses a 2 anos. Pós-operatório tardio. A cicatriz reduzida da incisão volta ter a mesma coloração da pele normal. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo, o resultado definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade).

14) Cicatrizes Hipertróficas e Quelóides

As cicatrizes hipertróficas podem ser tratadas com uso de placa de silicone (período mínimo 2 meses) e cremes. Já o tratamento do quelóide é mais complicado. Pode-se organizar com antecedência a realização de betaterapia (radioterapia superficial específica para tratamento de quelóide). A betaterapia é realizada em centros de radioterapia. São realizadas 10 sessões em dias consecutivos com inicio no dia da cirurgia. Existem outros tratamentos para o quelóide com infiltrações (injeções) de medicações durante a cirurgia e no consultório após a cirurgia.

15) Orientação Pós-Operatórias

Repouso relativo nos primeiros 2 dias. Não deitar de lado ou de bruços. Usar sutiã modelador adequado por 45 dias. Pode tomar banho de chuveiro, mas sem retirar os curativos. Os micropores podem ser mantidos por 30 dias. O primeiro curativo será trocado no consultório. Os pontos são internos com fio absorvível (monocryl), mas quando há necessidade de pontos externos, estes serão retirados em 15 dias. Depilação com cera das axilas após 21 dias. É freqüente, no primeiro mês, a diferença de volume entre as mamas.

Recomenda-se evitar:

Dirigir carro nas 3 primeiras semanas. Fumar durante 2 semanas. Tomar banho de piscina por 2 semanas. Cometer exageros, levantar pesos, erguer os braços exageradamente e abri-los excessivamente pelo menos por 1 mês. Dormir de bruços por 3 semanas. Tomar sol ou calor excessivo por 1 mês. Fazer exercícios com a extensão dos braços por 4 semanas. Academia por 6 semanas.

×
Olá!
Gostaria de tirar alguma dúvida com o Dr. Marco??
EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish