Escolha uma Página
Preenchimento Labial – Mitos e Verdades por Dr. Marco Cassol

Preenchimento Labial – Mitos e Verdades por Dr. Marco Cassol

O Carnaval está chegando e, junto do feriado, a preocupação com o visual e com a estética. Quem sonha com lábios volumosos encontra no preenchimento labial uma boa alternativa, sem contar que ainda dá tempo de fazer o procedimento minimamente invasivo para arrasar na folia! Para desmitificar o preenchimento labial, o médico e cirurgião plástico, Dr. Marco Cassol responde algumas questões sobre o assunto:

É verdade que o preenchimento labial dura para sempre?

Mito. Há diversos ativos preenchedores que permitem uma boa integração entre os tecidos e um resultado natural, mas o mais utilizado é o ácido hialurônico, que é temporário. Nesse caso, como a duração aproximada é de 12 meses, é preciso uma manutenção periódica para que os lábios continuem volumosos.

O procedimento labial dói?

Mito. Na verdade, a dor varia para cada pessoa, é algo muito subjetivo. Hoje, o produto vem misturado a anestésico para minimizar o desconforto e o procedimento é bem rápido.

Botox (toxina botulínica) e preenchimento labial são a mesma coisa?

Mito. São dois procedimentos indicados para resultados diferentes. A toxina botulínica atua relaxando os músculos e é indicada para tratamentos de rejuvenescimento, preenchendo as rugas e linhas finas. Já o preenchimento, age na pele dando volume.

O preenchimento labial pode ser aplicado em qualquer tipo de pele?

Verdade. O ácido hialurônico pode ser aplicado em qualquer tipo de pele. Em relação à substância usada, ela é parecida com a que já existe em nosso organismo, minimizando riscos de rejeições e irritações. 

O resultado demora para aparecer?

Mito. Os resultados aparecem logo após a aplicação. Pacientes mais sensíveis podem apresentar inchaço ou vermelhidão local, mas é passageiro. Após três semanas, o produto se acomoda na região e o resultado final aparece.

Existem contraindicações para o preenchimento labial?

Verdade. A segurança do paciente vem sempre em primeiro lugar! Por isso, o procedimento, mesmo sendo minimamente invasivo, deve ser realizado por um profissional habilitado, como o cirurgião plástico. As contraindicações são em casos de gravidez e amamentação.

O doutor Cassol também explica que os cosméticos que prometem aumentar os lábios temporariamente, como cremes labiais, balms, bálsamos ou unguentos, possuem agentes que “irritam” a mucosa dos lábios, causando inchaço. “Pacientes alérgicos aos componentes irritantes da fórmula não devem usar este tipo de produto, pois eles podem ter absorção rápida, no caso dos mais hidrofílicos, ou ter longa duração, nos mais oleosos”, alerta.

O médico acrescenta que “a cirurgia plástica, quando bem indicada e realizada, fica natural e harmônica. No entanto, o grande perigo é a obsessão que muitas pessoas têm pela busca do corpo perfeito, que acaba trazendo um resultado artificial para a aparência”. 

Dr. Marco Cassolcirurgião plástico especialista em face feminina – membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) com mais de 15 anos de experiência. É formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRG) e conta com especializações em cirurgia para a redução de mamas, criolipólise, microlipoaspiração, cirurgia íntima, entre outras.

Tratamento de Beleza Feitos no Verão

Tratamento de Beleza Feitos no Verão

 

O segredo é só não fazer aqueles que agem na camada mais superficial da pele, a epiderme. Para queimar as gordurinhas, a criolipólise pode ser feita. Mesmo com os procedimentos liberados, a recomendação dos especialistas é sempre usar muito filtro solar e evitar os horários de sol mais forte.

Ouça a entrevista que o Dr. Marco Cassol cedeu a rádio CBN falando dos possíveis tratamentos realizados no verão.

Fonte: Rádio CBN 

Cirurgia Plástica mal sucedida – Entrevista Dr. Marco Cassol

Cirurgia Plástica mal sucedida – Entrevista Dr. Marco Cassol

 

O Brasil é o segundo país onde mais se realizam cirurgias plásticas, perdendo apenas para os Estados Unidos. Mas a imposição do ideal de um corpo perfeito aliada às facilidades de realizar esse tipo de procedimento são também responsáveis pelas frequentes mortes de mulheres vítimas de operações malsucedidas. Mas o que leva as brasileiras a arriscarem suas vidas em troca de seios ou nádegas, por exemplo?

Casos de brasileiras que morreram vítimas de cirurgias plásticas malsucedidas ocupam as páginas dos jornais todas as semanas. Na maioria desses tristes episódios, as histórias se repetem: as pacientes confiaram em procedimentos inadequados e médicos desqualificados e pagaram com suas vidas o sonho do corpo perfeito.

A ditadura da beleza no Brasil é um fenômeno que penaliza, mas que também banaliza. É o que avalia o sociólogo especialista em Saúde Pública, Francisco Romão Ferreira, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Segundo ele, “há uma preocupação excessiva com o corpo. Não só em termos de cirurgias plásticas, mas a quantidade de academias, salões de beleza e de farmácias no Brasil é algo gritante quando você compara com outros países”.

A necessidade de exibir um corpo perfeito e jovem acabou também por banalizar operações estéticas, como implantes de silicone, lipoaspirações, lifts faciais – frequentemente apresentados por clínicas como procedimentos simples, facilitados por pagamentos parcelados ou até consórcios por operadoras de crédito.

O sociólogo Francisco Romão Ferreira avalia que diversos fatores contribuem para este fenômeno no Brasil, um país com uma grande extensão litorânea, onde a maioria das capitais estão próximas da costa, onde faz calor em boa parte do ano e a cultura da praia é muito intensa. Além disso, o corpo, muitas vezes, é o principal bem dos brasileiros. Ele destaca que num país com uma desigualdade social muito grande, “o físico é um capital para a ascensão social. Quando acesso ao ensino e à educação são bloqueados, o corpo vira uma possibilidade de evoluir socialmente”.

Mas para o sociólogo não há dúvidas que a busca desenfreada da estética não é um fenômeno que diz respeito apenas a determinadas classes, mas é constatada entre pobres e ricos. As classes mais abastadas se engajam em fenômenos da moda, como a recente febre do crossfit ou das corridas, que, por trás de atividades físicas, desenvolvem novos mercados, serviços e produtos imperativamente a serem adquiridos.

De acordo com dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, 86,2% das cirurgias plásticas no mundo são realizadas por mulheres. O aumento de seios continua sendo a cirurgia plástica mais realizada (15,8%) entre os 2 milhões e 500 mil procedimentos por ano, seguidos da lipoaspiração (14%) e da cirurgia de pálpebra (12,9%).

Fonte: cartacapital.com.br

 

Cirurgia Plástica mal sucedida - Entrevista Dr. Marco Cassol 1

Entrevista com o médico Marco Cassol. Ele é cirurgião plástico especialista em face feminina. Confira:

Prótese de Silicone Tem Prazo de Validade?

Prótese de Silicone Tem Prazo de Validade?

Não é nenhuma novidade que as brasileiras são vaidosas. Prova disso é que o Brasil é o 2º colocado quando se trata de cirurgias plásticas.

Atualmente, é muito comum ver mulheres de diversas faixas etárias aderirem aos procedimentos, principalmente no que se refere aos seios, como a mamoplastia de aumento, cirurgia para a inserção de próteses de silicone que visam embelezar as mamas. Mas, será que as próteses de silicone têm prazo de validade?

A questão da validade das próteses sempre foi muito debatida e, segundo o cirurgião plástico Dr. Marco Cassol, algumas realmente devem ser trocadas. “As próteses mais antigas, usadas nas décadas de 80 e 90, possuem um revestimento mais fino e devem ser substituídas aproximadamente após 10 anos da mamoplastia. Já as próteses mais atuais, que são feitas de gel coesivo, são mais consistentes e, geralmente, não necessitam ser trocadas tão cedo”, explica.

Trocar Silicone nos seios

Quando Deve-se Trocar a Prótese?

Além da idade da prótese, o médico aponta que incômodo nos seios, dor ou coceira na região, latejamento ou cisto podem indicar a necessidade de substituição. “É preciso que seja feito anualmente um acompanhamento com exames de sangue, ultrassom e mamografia para verificar se há alguma infecção”, explica.

banner do guia de protese de silicone

Atenção com as Próteses de Silicone

Se o produto não for trocado dentro do período recomendado, podem acontecer rupturas e vazamentos do silicone ocasionando inflamações nos tecidos vizinhos. “A prótese deverá ser trocada quando representar danos à saúde do indivíduo, sejam eles físicos ou emocionais.”

Dr. Marco Cassol, cirurgião plástico e especialista em face feminina – membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) com mais de 15 anos de experiência.

Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRG) e conta com especializações em cirurgia para a redução de mamas, criolipólise, microlipoaspiração, cirurgia íntima, entre outras.

Fonte: Portal Cambé

Lipoescultura promete contorno mais harmônico ao corpo

 

Marco Cassol, cirurgião plástico especialista em face, ressalta que é importante que a pessoa saiba que a lipoaspiração em geral não é cirurgia para emagrecer. “O paciente deve estar no peso ideal para realizar a retirada de gordura localizada”, diz.

Ainda de acordo com Cassol, o resultado da lipoescultura aparece, em média, depois de quatro meses.

“Nos locais onde retiramos muita gordura nunca mais acontece acúmulo de gordura. Mesmo assim, o paciente deve manter uma dieta hiperproteica para ajudar a manter o resultado da cirurgia”, ressalta Cassol.

Perguntas e respostas sobre a lipoescultura

Lipoescultura promete contorno mais harmônico ao corpo 2

Confira os esclarecimentos para as principais dúvidas sobre lipoescultura:

1. Qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura?

Lipoescultura é a lipoaspiração com enxerto de gordura em algum local do corpo. Ou seja, retira-se a gordura de um lugar e se coloca em outro. A lipoaspiração refere-se somente à retirada de gordura por cânulas que fazem a sucção”, explica Cassol.

 

2. Para quem é indicada a lipoescultura?

“Ela é indicada, basicamente, para os pacientes que precisam preencher algum lugar do corpo ou do rosto com gordura”, diz Cassol.

Vale reforçar que a lipoaspiração e a lipoescultura não são cirurgias indicadas para quem deseja emagrecer. A pessoa deve estar no peso ideal para retirar a gordura localizada de determinadas partes do corpo.

 

3. A lipoescultura é dolorida? E o pós-operatório?

A recuperação é semelhante à recuperação da lipoaspiração, de acordo com Cassol. “O desconforto é proporcional à retirada de gordura. Quanto mais aspiramos, maior é o desconforto”, diz. Vale ressaltar que a ideia de dor e de desconforto é muito relativa. Algumas pessoas podem sentir mais; outras, menos.

 

4. Pode-se associar outra cirurgia (como colocação de silicone) à lipoescultura?

Normalmente não se associa outra cirurgia com a lipoescultura, de acordo com Cassol. Marcelo Moreira explica que a colocação de silicone, por exemplo, na mesma cirurgia, até é possível. “Mas só é definido após a realização de exames clínicos, e a liberação do clínico”, destaca.

 

5. Preciso fazer drenagem após a lipoescultura?

“Drenagem linfática é sempre indicada no pós-operatório, pois ajuda a desinchar e a modelar a gordura”, destaca Cassol.

 

6. O que é a minilipo?

“Minilipo é exatamente a mesma coisa que a lipoaspiração, só que realizada no consultório (sem os cuidados de um hospital) e com anestesia local (paciente acordado e sentindo toda a manipulação)”, diz Cassol. Ela é considerada uma lipoaspiração pequena, realizada por partes, com volume menor lipoaspirado.

 

7. Posso fazer a lipoescultura antes de engravidar?

Deve, de acordo com Cassol. “Pacientes que começam a gestação na melhor condição física conseguem manter o melhor resultado e recuperação após a gestação”, diz.

 

8. Se eu engordar alguns quilos depois, vou perder o resultado da lipoescultura?

“Não perde o resultado, pois onde foi retirado muito tecido gorduroso, o tecido nunca volta a crescer como antes. Mas as outras áreas do corpo acabam sofrendo acúmulo de gordura”, destaca Cassol.

 

9. Qual o risco de complicações na lipoescultura?

“O mais grave e mais raro é a embolia pulmonar. Mas outros riscos menores sempre existem, como em qualquer cirurgia. Por isso os cuidados de fazer a lipoescultura em hospital preparado, com anestesista especializada e cirurgião plástico qualificado”, ressalta o cirurgião plástico Cassol.

 

10. Quando poderei voltar a me exercitar depois da lipoescultura?

De acordo com Cassol, em torno de dois meses após a cirurgia.

 

11. Quando poderei voltar a trabalhar depois da lipoescultura?

Em torno de uma semana depois da cirurgia, de acordo com Cassol.

 

Lipoaspiração Cirurgião Plástico

Clínica de Cirurgia Plástica SP

 

Bochechas salientes já podem ser resolvidas com cirurgia plástica

Na hora de tirar aquela foto com os amigos, você é o único que não sorri ou abre bem de leve a boca, no intuito de evitar que as bochechas, já redondas, fiquem ainda maiores. A fase de piadas já passou, mas a sensação é de que esse tormento nunca terá fim.

Será mesmo? A medicina estética anda tão avançada que a nova onda se chama Bichectomia: cirurgia que tem como intuito reduzir as bolas de bichat (camada de gordura da região bucal), diminuindo as bochechas e afinando o rosto. “Nos Estados Unidos, esse procedimento já é feito há 40 anos, mas no Brasil ainda é novidade”, conta Marco Cassol, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Contato Marco Cassol

Sua Clínica de Cirurgia Plástica SP

Mesmo sem estatísticas específicas da SBCP, o número de homens buscando esse procedimento tem crescido, diz o cirurgião. Tudo isso para diminuir o formato arredondado do rosto, que deixa a imagem um pouco infantilizada.
“Existem diversos famosos que realizam o procedimento, e nós, cirurgiões, conseguimos detectar facilmente. Porém, eles não divulgam isto na mídia porque a intenção é que se pareçam naturais.

Dois exemplos de atores que possivelmente realizaram o procedimento são os norte americanos Pierce Brosnan e Keanu Reaves”, esclarece Cassol.

Famosos que fizeram Bichectomia

Bichectomia dos famosos

Segundo o profissional, a maioria dos pacientes que procura a cirurgia está infeliz com sua aparência facial e quer mudanças. “Na maioria dos casos, são aquelas pessoas que possuem bochechas proeminentes congênitas, que têm algum tipo de deformação ou sinal não desejado, como as covinhas”, afirma Cassol.

Bichectomia – Antes do procedimento

Se você pensou em um bando de recomendações, esqueça! De acordo com Vitorio Maddarena, cirurgião plástico e diretor da Clínica Maddarena, em São Paulo, são realizados apenas exames de rotina pré-operatórios e no dia da cirurgia o indicado é não ingerir alimentos pesados e de difícil digestão. “Também é importante realizar uma boa higiene bucal, já que as incisões são feitas pela parte de dentro da boca”, aconselha.

Keanu Reeves (Foto: Getty Images)

 

Entrevista cedida ao GQ – Cuidados

Contato Marco Cassol

 

1
Olá!
Você quer realizar alguma cirurgia e gostaria de tirar alguma dúvida?
Powered by