Flacidez na Pele – Causas e Tratamentos

Muitas mulheres identificam a chegada da flacidez na pele quando sentem sua pele mais amolecida e percebem o surgimento de bolsas nas pálpebras, ou de excesso de pele no contorno mandibular e pescoço.

Atualmente, existem diversos procedimentos estéticos que são indicados para amenizar e tratar a flacidez na pele, e também muscular, em diferentes partes do corpo e no rosto.

Especialista Dr. Marco Cassol, afirma que independentemente de onde ocorre a flacidez, ela tem a ver com a derme, que é onde ficam as fibras colágenas e as fibras elásticas, e pode também ter a ver, dependendo do caso, com a musculatura.

Os cremes são absorvidos até a epiderme, para chegar na derme tem que ser feito algo injetável ou tem que ter a ajuda de algum aparelho que abra a porta de entrada, por exemplo o laser de co2, ou ainda um microagulhamento.

Flacidez na Pele - Causas e Tratamentos 1
Pele flácida na barriga ou flacidez muscular

As principais causas da flacidez na pele

A flacidez é geralmente uma das alterações estéticas que mais atormentam as mulheres.

Existem dois tipos de flacidez: a flacidez tissular (flacidez da pele) e a flacidez muscular.

Na primeira, o tecido cutâneo é afetado, há uma diminuição da quantidade de fibras colágenas, desnutrição e desidratação do tecido cutâneo. Já na flacidez muscular, a musculatura subcutânea é afetada.

Embora a pele flácida incomode muitas mulheres, vale lembrar: trata-se de uma consequência do envelhecimento natural. A partir dos 25 anos, passa a ocorrer fisiologicamente uma diminuição das fibras elásticas, do tecido subcutâneo e do colágeno, resultando em despregamento de todas as camadas cutâneas.

As causas da flacidez são diversas; naturalmente, com o passar dos anos, diminui-se a produção de colágeno e, com isso, ocorre o afinamento natural da pele.

Além disso, temos reabsorção dos ossos da face e perda ou deslocamento da gordura que antes sustentava a pele na face. Com isso temos a sensação de que a pele está ‘caindo’, ‘derretendo’, enfim, perdendo a sua sustentação.

Destque para ação da gravidade, a radiação solar, a desnutrição e desidratação do tecido cutâneo, o fumo, o efeito sanfona e alimentação inadequada são alguns fatores que contribuem para a flacidez tissular (da pele).

Já a flacidez muscular ocorre devido ao sedentarismo, obesidade e envelhecimento. É muito comum que os dois tipos de flacidez apareçam associados, dando um aspecto ainda pior às partes do corpo afetadas pelo problema.

Dessa forma, resumidamente, podem ser destacados como alguns dos fatores que “pioram” o processo natural de envelhecimento/flacidez:

  • Tabagismo;
  • A exposição solar excessiva;
  • Má alimentação;
  • Fatores genéticos;
  • Falta de exercício físico/Sedentarismo;
  • Perda de peso rápida/Efeito sanfona.

Assim, ao mesmo tempo em que a pele flácida deve ser encarada da forma mais natural possível, também é cabível adotar alguns hábitos e até optar por alguns tipos de tratamentos para prevenir ou amenizar a flacidez.

Como evitar a pele flácida?

Para tratar a flacidez de todas as áreas do corpo e também da face, alguns cuidados de cunho preventivo também são fundamentais. Evitar exposição solar excessiva é a primeira. O sol favorece muito o envelhecimento. Cigarro nem pensar. O tabagismo reduz muito a produção de colágeno.

Vale lembrar que a flacidez da pele deve ser encarada de forma tranquila, afinal, não é possível manter uma pele jovem para sempre! Ela faz parte do processo natural de envelhecimento. Mas algumas dicas simples ajudam no sentido de evitar e não “piorar” este quadro:

Dicas para evitar a pele flácida:

  • Conte com uma alimentação saudável, de preferência com acompanhamento de um nutricionista, incluindo em seu cardápio alimentos funcionais (que possam fazer bem à sua pele e sua saúde de forma geral).
  • Tenha um bom aporte proteico.
  • Evite especialmente os alimentos ricos em açúcar.
  • Evite as bebidas alcoólicas.
  • Beba bastante água diariamente.
  • Não fume ou pare de fumar (se for o caso).
  • Evite a exposição solar excessiva.
  • Pratique atividades físicas com frequência, especialmente musculação, e conte com acompanhamento de um profissional da área para indicar os melhores exercícios.
  • Evite o “efeito sanfona”, mantendo-se no seu peso adequado. Isso porque, o “efeito sanfona” pode favorecer a flacidez: quando você engorda, a pele estica; ao emagrecer, ela volta ao normal, mas tende a ficar menos elástica.

Por fim, lembre-se que autoestima é fundamental! Não há mal nenhum em querer cuidar da sua beleza, muito pelo contrário; mas a flacidez da pele não deve ser motivo de grandes preocupações, afinal, o envelhecimento é um processo natural, pelo qual todos estão sujeitos a passar, e nunca deverá ser encarado como um problema.

Cirurgia plástica para Flacidez

Para cada região, uma técnica cirúrgica para remover o excedente cutâneo. Aqueles que sofreram grandes perdas ponderais de peso – independentemente da idade – costumam ter indicação de um lifting corporal. Nesse caso, o que ocorre é que a pele, antes ajustada para um volume maior, tem que se adaptar e ‘cobrir’ um volume bem menor, podendo gerar uma “sobra”.

Ainda de acordo com o cirurgião plástico, o que determina o grau dessa flacidez é o dano à elasticidade da pele. “Fatores importantes que contribuem com esse dano são, além do grau de aumento de volume, a idade da paciente, a tendência individual à perda de elasticidade, a elasticidade original da pele, a qualidade da irrigação sanguínea da área em questão, além de fatores externos, como o sol, o tabagismo, hábitos alimentares e o tipo de atividade física que a pessoa pratica, por exemplo”, diz.

Antes e Depois do Lifting Cervical

Flacidez no rosto e pescoço

Geralmente quando a flacidez dos tecidos faciais não pode ser resolvida por preenchimentos e peelings, a cirurgia plástica passa a ser a opção mais indicada. Isso pode ocorrer em diversas faixas etárias, mas normalmente a partir dos 40 anos.

O cirurgião plástico Marco Cassol destaca que as indicações de cirurgia plástica ocorrem geralmente quando: existe queda na região das bochechas e maçã do rosto pela idade; o músculo do pescoço é muito pronunciado; ou há gordura localizada no pescoço. “Isto exclui pacientes sem flacidez ou jovens acima do peso”, diz.

Flacidez nos Braços

Dr. Cassol explica que a cirurgia plástica indicada para tratar a flacidez dos braços é chamada de braquioplastia ou dermolipectomia de braço. “Realiza-se uma cicatriz em T (cicatriz na axila e na extensão do braço). É indicada para pacientes que tiveram grandes perdas ponderais e têm muitas estrias e flacidez no braço”, diz.

Flacidez nos Seios

O tecido dos seios que normalmente sofre com a flacidez é mais superficial, limitando o trabalho muscular. O tratamento mais viável para flacidez das mamas é o cirúrgico. Dr. Cassol destaca que as cirurgias para os seios são a mamoplastia (normalmente utilizada para reduzir a mama) ou a mastopexia (normalmente para levantar a mama). “São indicadas para as pacientes com muita perda de peso, queda nos seios pela idade, ou queda e diminuição da mama após a amamentação”, diz.

Flacidez nas Pernas

A dermolipectomia de coxa, de acordo com Dr. Cassol, é a cirurgia plástica recomendada para tratar a flacidez das pernas. “Normalmente é indicada para pacientes que têm muitas estrias na região entre as coxas. Fica uma cicatriz em T na região inguinal e face interna das coxas”, explica.

Flacidez na Barriga

Para casos em que a flacidez é severa, especialmente em pacientes obesos que perdem grande quantidade de peso, a cirurgia é fundamental. Dr. Marco Cassol também explica que a abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal “é indicada para reposicionamento dos músculos retos do abdômen (tanquinho) quando se afastam com o crescimento do útero durante a gestação ou quando resultam em muitas estrias na pele abaixo do umbigo. A cicatriz resultante é semelhante à cicatriz da cesariana, mas três vezes maior”.

Flacidez no Bumbum

Dr. Marco Cassol conta que, no caso do bumbum, a indicação de cirurgia depende do problema. “Se há pouca projeção do bumbum, podemos colocar prótese glútea ou enxerto de gordura no glúteo. Nos casos de flacidez extrema após cirurgia de redução de estômago, pode ser indicada a dermolipectomia glútea”, diz o cirurgião plástico.

Procedimentos estéticos para flacidez

Atualmente, diversos procedimentos estéticos são indicados para amenizar e tratar a flacidez da pele, e também muscular, em diferentes partes do corpo e no rosto. Abaixo, profissionais falam sobre 13 procedimentos que consideram os melhores para flacidez na pele:

1. Radiofrequência:

Para mulheres jovens ou que não desejam procedimentos invasivos, a radiofrequência é um equipamento que traz bons resultados. São, de forma geral, sessões quinzenais, que podem ser feitas em qualquer região da face ou do corpo, e que estimulam a produção de colágeno. Além disso, também promovem o ‘efeito cinderela’ em véspera de festas”.

Esta é uma técnica que trabalha com a geração de calor no tecido subcutâneo, induzindo a produção de novas fibras de colágeno e melhorando, assim, o aspecto da pele. Dentre as indicações mais comuns para a radiofrequência, estão: melhora da flacidez da pele, redução de rugas etc.

Casos de flacidez facial e dos seios, a flacidez tissular (da pele) se mostra mais evidente. Tratamentos como a radiofrequência têm demonstrado grandes resultados devido à estimulação da produção de fibras colágenas e elásticas, melhorando o tônus da pele.

2. Preenchimento com ácido hialurônico:

Para pacientes que apresentam surgimento de sulcos e perda de volume na face – muito comum quando há perda de peso –, sugere-se a aplicação de preenchimento com ácido hialurônico pelo médico dermatologista. O efeito é bastante natural e a melhora é visível.

3. Aplicação de ácido L-polilático:

Para pacientes que sentem amolecimento da pele e aparecimento de rugas na região das bochechas, a aplicação de ácido L-polilático é uma ótima opção. Ele estimula colágeno e espessa a pele novamente. É ideal para rostos finos com flacidez, ressaltando que a injeção de ácido polilático é muito usada na região da face e pescoço com excelentes resultados.

4. Peeling químico:

De acordo com Dr. Marco Cassol, outro método que pode ser utilizado para agir contra a flacidez cutânea é o peeling químico, que remove o tecido danificado, melhorando a textura da pele.

5. Ulthera:

O aparelho proporciona um efeito instantâneo de lifting facial semelhante ao da cirurgia plástica. E o melhor: sem cortes, dor ou desconforto. Melhora o contorno facial, não é invasivo e os resultados já são visíveis após a primeira sessão. A tecnologia utilizada é a de ultrassom fracionado, que atua nas camadas mais profundas da derme e da musculatura facial.

O aparelho contrai as fibras elásticas da pele e estimula a produção de colágeno pelo organismo, provocando um efeito rejuvenescedor duradouro. Melhor que outros aparelhos de radiofrequências, pois consegue fazer a contração da fáscia muscular, músculo fino que envolve o rosto e pescoço.

Além disso, o aparelho contrai as fibras de colágeno e elásticas da derme superficial e profunda. Já as radiofrequências só fazem a contração das fibras da derme e não do músculo. E é nesse músculo que agem os cirurgiões plásticos.

Mas atenção! Ulthera não é recomendado para gestantes e pessoas com doenças de pele no local da aplicação, por isso, deve ser feito com acompanhamento de um dermatologista. O aparelho é aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration) e pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Ulthera pode ser utilizado tanto para tratar/amenizar a flacidez facial como corporal.

6. Laser de CO2:

De acordo com especialistas em tratamentos de pele flácidas, este é um dos melhores e mais indicados para a região facial. Ele deve ser feito, quando para este fim de tratar a flacidez, de maneira a estimular a derme, portanto não adianta fazê-lo muito superficial para tratar de flacidez, deve ser feito mais profundo… Os resultados costumam ser muito apreciados.

Flacidez na Pele - Causas e Tratamentos 2
Cremes para tratamentos da pele flácida do rosto.

Tratamentos com gel transdérmico

Tratamentos com gel transdérmico, possuí uma substância irá para o organismo inteiro, e tem que ter obrigatoriamente prescrição médica, de acordo com os exames de cada um, pois estes geralmente são géis transdérmicos hormonais, portanto, devem ser prescritos baseados nos exames de hormônios dos pacientes e agirão porque irão atuar no organismo inteiro e inclusive na derme e musculatura.

Alimentação adequada para pele flácida

Os hábitos alimentares são muito importantes quando o assunto é tratamento/prevenção da flacidez. A ingestão de água em grande quantidade ajuda na manutenção da qualidade da pele. Dr. Marco Cassol, cirurgião plástico e especialista em face feminina, também ressalta a importância da hiperhidratação (tomar três litros de água por dia), para tratar/amenizar a flacidez da pele.

Alimentos importantes para a produção de colágeno, de acordo com Juliana, são: frutas e verduras ricas em vitamina C, como a laranja, mamão entre outros; e proteínas, especialmente a presente em carne vermelha. “Deve-se evitar alimentos ricos em açúcar, pois estes pioram o envelhecimento”, explica.

Dr. Cassol também lembra a importância do aporte proteico adequado. “Por exemplo, comer duas claras de ovos por dia”, comenta. Dessa forma, reforça-se a necessidade de contar, se possível, com as orientações de um nutricionista que passará a dieta adequada às suas necessidades.

Alimentos que devem fazer parte no cardápio. São aqueles ricos em:

  • Lisina: aves/ peixes
  • Glicina: ervilha, carnes
  • Prolina: ovos, carnes, peixes
  • Vitamina A: cenoura, ovo, leite
  • Vitamina C: limão, acerola, goiaba
  • Manganês: soja
  • Cobre: castanhas
  • Silício: cevada, vegetais
  • Ácidos Graxos: peixes águas frias e óleo de linhaça.

Receita de suco anti flacidez

Dr. Cassol indica ainda tomar um suco anti-inflamatório com farinhas probióticas duas vezes por dia.

Vale a pena anotar a receita!

Bata no liquidificador:

  • 500ml de água
  • 1/2 cenoura
  • 1 pedaço de gengibre
  • 1 folha de couve
  • ¼ de beterraba
  • 4 laranjas com bagaço (cortar a laranja em 4 e retirar a casca e sementes)
  • 1 maçã (retirar as sementes)
  • 2 limões espremidos
  • 1 morango
  • 2 ameixas secas
  • Por fim, coloque uma colher de chá de quinoa, psyllium, amaranto, chia ou linhaça.

O uso de colágeno em pó hidrolisado com vitamina C também pode ajudar a evitar/tratar a flacidez da pele. Suplementos com aminoácidos, e são melhores que o colágeno, porque o colágeno é uma proteína que ainda será quebrada em aminoácidos.

Fazer o estudo do metabolismo, pedindo todos os exames de vitaminas a hormônios, e modular todo o metabolismo, com vitaminas, aminoácidos, peptídeos, coenzimas, minerais, antioxidantes e também hormônios, se isto for necessário no caso deste paciente.

Isto fará com que este organismo fique otimizado em tudo, em saúde, na defesa de seu organismo, na prevenção de doenças degenerativas e também no desenvolvimento dos músculos, turgor (elasticidade) da pele, hidratação, aumento de fibras elásticas, fibras colágenas etc.”, destaca a dermatologista especialista em medicina antienvelhecimento.

O ideal, então, é procurar a orientação de um nutricionista ou médico que possa avaliar o caso individualmente, passando as principais orientações sobre alimentação e também indicando a suplementação necessária, se for o caso.

Tire suas dúvidas ou agende uma consulta com
Dr. Marco Cassol

Compartilhe :

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Marco Cassol

Marco Cassol

Dr. Marco Cassol Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista em Cirurgia Geral e em Cirurgia Plástica, tem mais de 15 anos de vivência na profissão. Após sua formação, desde 2006. CRM-SP 122955 / RQE 24987 Linkedin .

Artigos relacionados