Otoplastia – Orelha de Abano – Cirurgião em São Paulo

Otoplastia

Otoplastia – Orelha de Abano – Cirurgião em São Paulo

cirurgia para diminuir a orelha ou otoplastia visar melhorar a forma, as proporções  ou a forma das orelhas, corrigindo um defeito congênito na estrutura das orelhas.

Otoplastia – É a cirurgia plástica  para correção do formato anormal das orelhas, tais como a chamada orelha de abano (quando a borda lateral afasta-se da cabeça dando um aspecto de ser muito maior do que realmente é).

Nestes casos ocorre também o apagamento da anti-hélice (dobra interna da orelha) dando um aspecto de antena parabólica.

A otoplastia corrige estas deformidades visando a formar a anti-hélice e diminuir a distância entre a borda lateral da orelha e o couro cabeludo.

Otoplastia redutora

As orelhas grandes, mais conhecida como macrotia, é diagnosticada quando uma pessoa possui orelhas maiores que o normal. Uma orelha de tamanho normal mede entre

A otoplastia redutora é o procedimento de diminuir o tamanho das orelhas nesses casos em específico.  Leia mais… Macrotia – Cirurgia para Orelha Grande

Quando fazer a Otoplastia?

  • Orelhas muito grandes – uma condição rara chamada macrotia;
  • Orelhas salientes que ocorrem em um ou ambos os lados em diferentes graus – não associados à perda auditiva;
  • Insatisfação do adulto com a cirurgia prévia da orelha.

Qual é a Idade mínima para Otoplastia?

  • A temida “orelha de abano”, em que a orelha fica proeminente ou mais aberta, pode ser corrigida pela Otoplastia a partir dos 6 anos.
  • O recomendado pelos especialistas é que a otoplastia seja realizada o quanto antes para impedir que a criança seja alvo de bullying e acarrete problemas psicológicos.

Por volta dos seis anos de idade é o ideal, pois é quando a orelha já atingiu o tamanho médio definitivo.

Ou quando a cartilagem da orelha já é estável o suficiente para a correção. Porém, não há limite de idade para quem quer se sentir bem.

Otoplastia em crianças:

  • Crianças saudáveis, sem doença com risco de vida ou com infecções crônicas não tratadas de ouvido;
  •  Crianças cooperativas e que sigam as recomendações médicas;
  • Crianças capazes de expressar o que sentem e não manifestam objeções durante a discussão da cirurgia.

Quanto custa a Otoplastia?

O valor da otoplastia é sempre uma consideração em cirurgia eletiva. Os honorários de um cirurgião podem variar de acordo com a sua experiência, local e o tipo de procedimento realizado pelo cirurgião.

Os valores da cirurgia podem incluir:

• Honorários do cirurgião plástico;
• Gastos com hospital ou centro cirúrgico;
• Honorários do anestesista;
• Instrumentação.

Otoplastia – Ficha Técnica

Tipo de Anestesia usada na Otoplastia:

  • Pode ser local ou local com sedação.

Tempo de Cirurgia:

  • A Cirurgia de Otoplastia dura em cerca de 1 hora. Em adultos normalmente é feita com anestesia local + sedação , em ambiente hospitalar. Em crianças será necessário a avaliação do anestesista, a cirurgia também deve ser realizada em ambiente hospitalar.

Otoplastia – Riscos da Cirurgia:

São muito raras as complicações na cirurgia de otoplastia,  Mas pode em alguns casos raros pode ocorrer:

  •  Sangramento (hematoma);
  • Assimetria;
  • Infecção;
  • Má cicatrização;
  • Alteração na sensibilidade da pele;
  • Contornos irregularidades na pele;
  • Descoloração da pele/inchaço;
  • Riscos da anestesia;
  • Cicatrizes;
  • Alergias à fita, ao material de sutura, a colas, a produtos derivados do sangue, a preparos tópicos ou a agentes injetados;
  • Dor, que pode perdurar;
  • Possibilidade de novo procedimento cirúrgico.

Otoplastia – Resultados da Cirurgia

Logo após a cirurgia na orelha já fica com o formato aproximado ao final, exceto pelo fato de haver edema (inchaço) e equimose (roxos) que costumam desaparecer por volta da terceira semana após a cirurgia.

A Cirurgia deixa cicatriz?

A cicatriz fica escondida atrás da orelha. A cicatrização completa leva em torno de seis meses, e o resultado final somente pode ser bem analisado um ano após a intervenção.

Otoplastia – Pós Operatório

O curativo tem um papel importante, pois mantém a forma e modelagem atingida ao final da cirurgia, ocupando os espaços, diminuindo assim o edema (inchaço) e a chance de haver coleção de líquidos (hematoma ou seroma), o que prejudicaria o resultado e aumentaria o risco de infecção.

Curativo:

O curativo é feito com algodão ou gaze e afixado com fita adesiva porosa, e envolto por uma atadura de fita crepe ao redor da cabeça.

Tempo da Atadura:

A atadura é retirada nas primeiras 24 horas. O curativo com a fita adesiva microporosa é mantido por 1 a 2 semanas no pós-operatório (com trocas eventuais da fita adesiva porosa, caso necessário), permanecendo somente a fita após este período.

Devo usar faixa?

É recomendável ainda o uso noturno de faixa de tenista (para dormir) até 3 meses de pós-operatório para evitar que haja traumatismo durante o sono dobrando a orelha ao contrário e podendo romper os pontos de fixação da cartilagem.

Esse possível rompimento, associado ao “efeito memória” ou “efeito mola”, que é a tendência que a cartilagem apresenta de retornar a sua forma antiga, é responsável pela perda parcial do resultado em alguns casos.

Nesses casos, fica aberta a possibilidade de um retoque, para refinamento destas pequenas intercorrências, que pode ocorrer nas otoplastias.

Otoplastia – Os cuidados de pós-operatório

  • Manter a cabeça elevada;
  • Lavar o cabelo com xampu cuidadosamente, tomando o cuidado de não dobrar a orelha;
  • Não forçar ou mexer indevidamente com a ferida operatória;
  • Evitar possíveis traumas à orelha durante o dia;
  • Evitar exposição ao sol ou calor excessivo.

O paciente pode retornar as suas atividades de estudo e trabalho poucos dias após o procedimento.

A prática de exercícios leves e caminhadas, bem como retorno à normalidade de seu cotidiano ocorre após a retirada do curativo entre a primeira e a segunda semana.

Exercícios físicos intensos, e prática de esportes como tênis, andar a cavalo e esportes coletivos ficam liberados (tendo o bom senso como principal critério) a partir de mais ou menos três meses após a operação.

Faça uma consulta com o seu cirurgião e questione:

Use esta lista como um guia durante a consulta:

• Você é especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?
• Você foi treinado especificamente no campo da cirurgia plástica?
• A instalação do centro cirúrgico em seu consultório é autorizada pela Vigilância Sanitária?
• Quantos procedimentos deste tipo já realizou?
• Sou um bom candidato a este procedimento?
• O que se espera de mim para que os melhores resultados sejam obtidos?
• Onde e como o procedimento será realizado?
• Qual o tempo de recuperação e que tipo de ajuda vou precisar durante minha recuperação?
• Quais são os riscos e as complicações associados a este procedimento?
• Como são tratadas as complicações?

Sobre O Autor

Marco Cassol

Marco Cassol

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista em Cirurgia Geral e em Cirurgia Plástica, tem mais de 15 anos de vivência na profissão. Após sua formação, desde 2006. CRM-SP 122955 / RQE 24987

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *