Escolha uma Página
Conheça Os Métodos Mais Modernos Para Aumentar Os Seios

Conheça Os Métodos Mais Modernos Para Aumentar Os Seios

Procedimentos para aumentar os seios estão entre os mais procurados pelas brasileiras. O implante nas mamas, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), corresponde a 21% de todas as cirurgias estéticas realizadas no Brasil. São cerca de 110 mil intervenções por ano.

Mas diferente de quando a novidade das próteses surgiu, hoje cada vez mais as mulheres querem um resultado mais natural, com seios harmônicos em relação ao corpo. Os tamanhos exagerados não são mais tão bem vistos. É por isso que as técnicas também estão sendo aprimoradas.

Novos métodos para aumentar os seios

Em relação às principais novidades em procedimentos estéticos para as mamas, o cirurgião plástico Marco Cassol compartilha duas das principais: a prótese de silicone em formato cônico e o enxerto de gordura na mama. No caso da primeira, o implante é revestido de poliuretano, que não oferece risco de contratura capsular (perda da elasticidade) da pele.

“A prótese é indicada para pacientes com ombros e tórax mais estreitos, também para mulheres que acabaram de ter bebê e ficaram com as mamas ‘murchas’. O foco deste formato é a projeção do colo”, sinaliza Cassol. Com ele, é possível alcançar um resultado natural, mas sem aumentar muito o tamanho.

Já nas pacientes com queda pequena da mama, conforme esclarece o médico, a prótese permite montar a região, sem deixar as cicatrizes da mamoplastia. Outra possibilidade, para quem tem seios menores e sem flacidez é apostar no enxerto de gordura para aumentar o tamanho dos seios.

De acordo com o cirurgião, o público ideal para esse tipo de cirurgia são as mulheres bem magras, com mamas pequenas. “O método consiste no enxerto de gordura do próprio paciente na mama, deixando a região com aparência mais natural. É uma ótima opção para quem não quer implantes e deseja um aumento moderado da região”, ressalta.

Essa também é uma boa alternativa para camuflar a presença de próteses de silicone, em casos de irregularidade da pele ou quando o resultado final ficou superficial. Trata-se, portanto, de uma possibilidade para quem almeja resultados bem naturais.

Mulheres buscam resultado cada vez mais natural com o silicone.

Tipos de prótese de silicone

Atualmente, as principais próteses disponíveis são as de solução salina e gel de silicone. No caso da prótese salina, colocam-se apenas os invólucros. Posteriormente, com o auxílio de uma seringa e soro fisiológico, preenche-se a prótese até chegar ao tamanho desejado da mama.

Já o gel de silicone é o preenchimento de prótese mamário mais utilizado em todo mundo. As próteses mais modernas utilizam uma substância altamente coesiva. Deste modo, mesmo que ocorra uma ruptura traumática, o silicone não irá vazar.

A aparência também fica bem natural, por conta da densidade e textura das próteses, similares as do tecido mamário. Para cada caso pode haver um tipo mais indicado. Por isso, antes de optar por um método ou outro, o ideal é consultar um médico e discutir todas as opções.

Fonte: Doutissima

5 Passos Para a Cirurgia Plástica Perfeita

5 Passos Para a Cirurgia Plástica Perfeita

Planejamento é a palavra-chave quando o assunto é cirurgia plástica. Afinal de contas é preciso se organizar muito bem para poder cumprir todas as etapas antes e depois da cirurgia da maneira correta e garantir um final feliz para a sua história de transformação.

 

1. Pense bem a respeito da sua cirurgia plástica

Optar por uma plástica não é a mesma coisa que optar por um novo corte de cabelo. Antes de decidir se você vai ou não se submeter a um procedimento cirúrgico, é essencial pensar muito e avaliar todos os riscos que pode correr durante a operação. “Além disso, sempre peço para as candidatas a uma cirurgia plástica pensarem se vale a pena trocar o problema estético em questão por uma cicatriz, por menor que ela seja.

Por exemplo, será que vale ganhar uma cicatriz nos seios só para aumentar o seu volume da mama ou eliminar a sua flacidez? Será que vale ganhar uma cicatriz no rosto para ficar com o visual mais jovem?

É muito importante fazer esse tipo de alerta para que a paciente não fique frustrada depois da cirurgia ao ver seu corpo com uma marca que não existia antes”, explica o cirurgião plástico Rodrigo O. (SP).

 

2. Escolha um Cirurgião Plástico com atenção

Depois de ter pensado bastante a respeito da sua futura cirurgia e ter decidido que essa é a alternativa certa para fazer as pazes com o espelho, você precisa escolher seu cirurgião plástico.

Essa etapa é uma das mais importantes, já que você estará colocando sua vida nas mãos desse profissional. “O médico deve ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, além disso, a  paciente pode também pesquisar o currículo desse médico, pedir indicações para pessoas q

ue já fizeram cirurgia com esse profissional. A paciente deve se sentir confortável e segura na hora da consulta”, fala o cirurgião plástico Marco Cassol (SP).

“Outro ponto essencial é saber onde o especialista realiza suas intervenções cirúrgicas. Isso porque todas devem ser feitas exclusivamente em centro cirúrgico.

Se for realizada em clínica ou hospital, é indiferente. O importante é que o local proporcione segurança para o procedimento proposto. Fatores como o porte cirúrgico, esterilização e a disposição de infraestrutura para resolver possíveis complicações.

Caso o cirurgião que tenha escolhido não opere num centro cirúrgico já é um fator muito preocupante e deve, portanto, ser reavaliada a escolha do profissional”, alerta o cirurgião plástico André E. (RJ).

 

3. Fique de olho na agenda de sua cirurgia plástica

É chegado o momento de pensar qual a melhor época para marcar o procedimento. Lembre-se de que, após a cirurgia, você irá precisar ficar alguns dias de repouso em casa. “Esse período irá depender muito do tipo de cirurgia.

Mas, a média é de, aproximadamente, três dias a uma semana”, comenta o Dr. André E. Vale lembrar ainda que para algumas cirurgias ainda existem certas regras de pós-operatório que impedem que você dirija, faça muito esforço, levante peso, se exponha ao sol… É primordial conversar com o cirurgião plástico sobre todas as etapas da recuperação para saber se irá precisar pedir férias do trabalho ou apenas alguns dias de afastamento. Como dissemos no início dessa reportagem, planejamento é tudo!

4. Cuide da saúde antes da cirurgia plástica

Hora de se preparar para o procedimento. Faça todos os exames que o médico solicitar, eles são essenciais para garantir que você esteja saudável para se submeter a uma intervenção cirúrgica. “Também solicitamos alguns exames que irão nos servir de guia durante algumas cirurgias, como a tomografia de face, que irá mostrar como é a estrutura óssea da paciente”, comenta o Dr. Rodrigo O.

Esse é o período em que você deve suspender por três meses o cigarro, caso seja fumante. Alguns medicamentos também devem ser interrompidos, caso comprometam seriamente a cirurgia.

Você só pode usar os remédios liberados pelo cirurgião! Além disso, também se deve evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito fartas na véspera da cirurgia.

Seguir o jejum de 8 horas antes da intervenção é imprescindível. Feito isso, o médico irá agendar a data da cirurgia plástica.

5. Respeite o pós-operatório

Cada cirurgia tem suas recomendações específicas, mas após todas elas é preciso seguir uma alimentação rica em nutrientes que ajudam na recuperação. “Como sempre há perda de sangue na cirurgia, é importante o corpo estar rico em ferro, o que se conquista com a vitamina B12 e ácido fólico.

 

O consumo de vitamina A também é recomendado para acelerar a reparação do tecido. O zinco é outra substância indicada porque auxilia no processo de cicatrização”, diz o Dr. André Eyler. Passado o período de recuperação, você terá alta médica e estará pronta para desfilar por aí linda, de visual novo.

 

Por: Cibele Carbone

Fonte: Plástica e Beleza

Dúvidas Sobre Procedimentos Tratar o Excesso da Mama Masculina

 

O nome pode parecer estranho, mas a doença é muito comum entre os homens. A ginecomastia atinge quatro em cada dez homens.

 

A  doença deixa as mamas com aspecto feminino. Imagino a quantidade de piadas e pegadinhas de mal gosto os homens que têm a doença sofrem todos os dias. Com certeza atinge diretamente a autoestima masculina.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o procedimento de redução de mamas é um dos mais realizados pelos homens, junto com a lipoaspiração e a cirurgia de pálpebra.

O preconceito é grande, e apesar do problema ser comum, a maioria dos homens não procuram ajuda médica por constrangimento e vergonha. Para desmistificar essa doença eu entrevistei o Dr. Marco Cassol, que é cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica,  e tem mais de 15 anos de experiência.

 

cirurgiao-plastico-dr-marcos-cassol-fala-mamas-masculina-homem-peito-cirurgia

 

Bruno Figueredo: Doutor o que provoca essa doença que aumenta o volume das mamas do homem?

Dr. Marco Cassol: Diversos fatores podem causar o aumento do tecido mamário, como o uso de medicamentos, problemas clínicos, fatores hereditários, aumento do tecido gorduroso e tumores. E, na maioria dos casos, a doença é benigna e corrigível, com a realização dos exames clínicos é possível resolver a questão de maneira simples.

 

Bruno Figueredo: Existe algum tratamento para casos mais leves?

Dr. Marco Cassol: Normalmente quando os pacientes possuem sobrepeso é possível haver melhora com a perda de gordura.

 

Bruno Figueredo: Quais os procedimentos existem hoje?

Dr. Marco Cassol:  Entre os procedimentos estão: a lipoaspiração tradicional das mamas; a mastoplastia redutora (utilizada quando é necessária a remoção de maior quantidade gordura) ou remoção de pele excedente.

 

Bruno Figueredo:  Qual idade é permitida fazer a cirurgia?

Dr. Marco Cassol: Quatro anos depois da puberdade.

 

Bruno Figueredo:  Quem pode fazer esta cirurgia?

Todos os pacientes que se sentem incomodados com o volume das mamas. Às vezes o caso é apenas glandular.

 

Bruno Figueredo:  Que tipo de profissional está habilitado para fazer a cirurgia? E quais os cuidados pós-cirúrgicos?

Dr. Marco Cassol: Apenas o cirurgião plástico.

Após a cirurgia é necessário fazer no mínimo 10 sessões de drenagem linfática com ultrassom;

O paciente deve fazer repouso relativo nas primeiras 48 horas;

Não deitar nem de lado nem de bruços;
Usar Antibiótico recomendado deverá ser ingerido por 1 semana;

Utilizar o modelador (cinta cirúrgica) por 1 mês após a cirurgia para compressão da área lipoaspirada;

Manter as fitas adesivas por 60 dias.

 

Bruno Figueredo:  Qual o tempo de recuperação total? 

Dr. Marco Cassol: Quatro meses após a cirurgia já temos uma recuperação completa. Com um mês já se tem uma boa prévia de como irá ficar a cirurgia.

 

Bruno Figueredo:  É comum após a cirurgia o problema voltar?

Dr. Marco Cassol: Não, normalmente a cirurgia resolve completamente e é muito raro o caso de recidiva da mama por aumento de peso.

 

Bruno Figueredo:  Depois de quanto tempo o homem pode voltar a fazer exercícios físicos focados no peitoral e região superior do corpo?
Dr. Marco Cassol: Recomenda-se o retorno à prática de exercícios físicos apenas após 60 dias, principalmente os que exijam a extensão dos braços (golfe, natação, etc).

 

Agradeço ao Dr. Marco Casso pelas informações e espero que tenha ajudado você, homem.

Fonte: Joganogoogle.com.br

[:pb]Saiba quais são os riscos de usar cinta modeladora na hora de malhar A nova moda é potencializar os resultados da malhação com uso da cinta modeladora. Mas será que a prática realmente ajuda a alcançar os objetivos desejados?[:]

[:pb]

Saiba quais são os riscos de usar cinta modeladora na hora de malhar

A nova moda é potencializar os resultados da malhação com uso da cinta modeladora. Mas será que a prática realmente ajuda a alcançar os objetivos desejados?

A cinta modeladora (também conhecida como corpete) não é novidade para ninguém. Ela já é usada há muitos anos por pessoas que buscam afinar a cintura e esconder ou disfarçar gordurinhas naquelas roupas mais apertadas. Na saúde, seu uso é comum em tratamentos ortopédicos e durante alguns pós-operatórios.

Mas a novidade é a chamada ‘waist trainning’ (treino de cintura), no qual algumas pessoas, incluindo famosas internacionais, têm usado o corpete para malhar. Os usuários acreditam que a prática potencializa os efeitos do exercício, molda o corpo, afina a cintura e melhora a postura durante a malhação.

Geralmente, os acessórios são feitos em materiais resistentes, como o látex. Com a promessa de que o uso regular da cinta reduz gradualmente a cintura, muitas pessoas passam o dia inteiro com elas e até dormem usando-a. A marca de modeladores Waist Gang Society é a favorita das Kardashians.

No final do ano passado, Kim Kardashian postou uma foto no espelho falando: “Estou obcecada pelo waist trainning. Obrigada @premadonna87 pelos meus novos modeladores”, em tradução livre. Não se sabe se foi publicidade paga pela loja ou se a socialite realmente usa as cintas. Mas, as outras irmãs Kardashian e Kylie Jenner também postaram fotos usando o acessório para malhar.

Mas, será que esse truque realmente funciona? Para o cirurgião plástico Marco Cassol, as cintas podem modelar o corpo da pessoa, mas também têm o poder de deformá-lo. O uso excessivo da peça por vários dias consecutivos e por um longo período de horas acarreta complicações e muito mais malefícios do que benefícios para o corpo. Pode gerar atrofia da musculatura paravertebral e da musculatura da coluna, o que, fatalmente, repercutirá nas costas em forma de dores futuras.

Na prática, os modeladores agem comprimindo as costelas e o abdômen. O indivíduo que usa a cinta muito apertada no final do tórax – nas duas vértebras situantes -, corre o risco de ter suas costelas curvadas e obter o efeito de deformidade torácica, semelhante ao do processo de retirada da cartilagem das costelas.

O cirurgião plástico diz ainda que o uso da cinta modeladora é bem vindo em pós-operatório de cirurgias plásticas corporais. A cinta também torna-se uma aliada importante em pacientes que ganharam bebês e ainda estão com o abdômen um pouco aumentado depois da gestação.

Vale ressaltar que o uso do espartilho e do corselete, que são aquelas cintas com os cadarços mais fortes, gera uma restrição respiratória muito mais importante. A prática de exercícios físicos e de uma dieta regrada apresentam resultados melhores e mais saudáveis do que o uso da cinta. 

Dr. Marco Cassol, cirurgião plástico

Cassol também chama a atenção para o fato de que, usando o modelador, a pessoa tem dificuldade de respirar com o diafragma, que é a base do pulmão e músculo responsável por empurrar para baixo as vísceras que expandem o órgão. Assim, todas as vísceras abdominais ficam restritas, possibilitando o surgimento de uma grave restrição respiratória ou até mesmo uma insuficiência respiratória.

 [:]

Homens Ainda Ascondem a Ginecomastia

Homens Ainda Ascondem a Ginecomastia

 

Ginecomastia, é possível resolver o problema de um modo simples, afirma cirurgião plástico Marco Cassol

A ginecomastia, como se chama esse crescimento de tecido mamário, pode afetar os homens a partir da puberdade e é bastante nociva para a autoconfiança. Por meio da cirurgia plástica, podemos reduzir essa mama e devolver ao homem o seu amor pelo próprio corpo e a capacidade de sentir-se à vontade diante do espelho.
Consulte o cirurgião plástico e saiba mais sobre esse procedimento.

A ginecomastia, uma doença que torna as mamas com aspecto feminino, atinge boa parte do público masculino.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o procedimento de redução de mamas é um dos mais realizados pelos homens, junto com a lipoaspiração e a cirurgia de pálpebra. Estimativas dão conta que quatro, entre dez homens, sofrem com o mal que afeta diretamente a autoestima masculina.

De acordo com o Cirurgião plástico Marco Cassol, apesar da alta incidência de casos, muitos homens não procuram ajuda médica por constrangimento e inibição. “Diversos fatores podem causar o aumento do tecido mamário como o uso de medicamentos, problemas clínicos, fatores hereditários, aumento do tecido gorduroso e tumores.

E, na maioria dos casos, a doença é benigna e corrigível, com a realização dos exames clínicos é possível resolver a questão de maneira simples”, afirma o cirurgião plástico.

Entre os procedimentos estão: a lipoaspiração tradicional das mamas; a mastoplastia redutora (utilizada quando é necessária a remoção de maior quantidade gordura) ou remoção de pele excedente.

Marco Cassol é cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Com mais de 15 anos de experiência, é formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e especialista em cirurgia da face.

Fonte: Estilo Masculino

[:pb]Busca exagerada pela beleza pode trazer riscos à saúde e resultados desastrosos em cirurgias plásticas[:]

[:pb]O estilo de vida da sociedade atual, pautada pelo consumo e pela imagem perfeita e associada à moda do ‘selfies’, estimulam as pessoas a recorrerem cada vez mais às cirurgias plásticas.  Porém, essa prática pode se tornar um vício, escondendo uma doença psiquiátrica conhecida como Transtorno Dismórfico Corporal ou Síndrome Dismórfica.

A Dismorfofobia Corporal é um problema sério e precisa de atenção, visto que é capaz de colocar a vida do paciente em risco. A doença pode ser gerada por uma baixa autoestima, auto-crítica destrutiva, ou mesmo influenciados pelo padrão de beleza imposto pelos meios de comunicação. O que determina a patologia é o sofrimento do indivíduo diante da sua imagem, esses pacientes apresentam características como preocupação desmedida com a aparência, valorização excessiva de cicatrizes e marcas praticamente imperceptíveis, ou ideação irreal de envelhecimento e acabam se submetendo a um número exagerado de cirurgias plásticas.

O objetivo máximo da cirurgia plástica é fazer um procedimento que fique o mais natural e harmônico possível. Quando bem indicada e realizada, a cirurgia plástica eleva a autoestima e traz resultados extremamente positivos, restabelecendo não só a dignidade física, como também a emocional.  No entanto, passa dos limites quando o paciente mesmo após inúmeros procedimentos não se sente satisfeito. Isso porque, quem sofre de Dismorfofobia por mais que seja alertado buscará um médico que possa mudar o que ele acha que está errado, levando a um resultado artificial. E até mesmo desenvolvendo complicações mais sérias, devido à realização excessiva de intervenções no mesmo local, como a necrose e a rejeição, que podem levar à morte se não forem bem administradas.

http://www.mymisstess.com/busca-exagerada-pela-beleza-pode-trazer-riscos-a-saude-e-resultados-desastrosos-em-cirurgias-plasticas/[:]

1
Olá!
Você quer realizar alguma cirurgia e gostaria de tirar alguma dúvida?
Powered by