O que é preciso saber antes de encarar uma Cirurgia Plástica

Sabia que nem todo mundo está apto para uma cirurgia plástica? Sim!

Algumas pessoas simplesmente não podem se submeter a procedimentos cirúrgicos por uma série de motivos, mas em primeiro lugar está a sáude.

Esqueça o que sua amiga ou parente diz sobre dar aquela puxadinha aqui, esticadinha ali: cada organismo é um e deve ser tratado com toda cautela. Para explicar um pouco mais sobre o assunto, especialistas fazem alertas e contam à Vida&Arte como proceder quando se quer investir em uma cirurgia plástica.

O cirurgião plástico Rodrigo A, em Rio Preto, alerta que a lipoaspiração é uma cirurgia como todas as outras e é importante sempre realizar uma avaliação minuciosa do paciente, avaliação cardiológica, anestésica, vascular e exames de sangue, fazendo com que diminua muito os riscos de uma complicação.

Alerta importante faz o cirurgião plástico Rubem Bottas, em Rio Preto, quando fala sobre a importância de saber se o médico é realmente um cirurgião plástico e se é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Ele recomenda que procure referências sobre o cirurgião e seu trabalho.

“Para o êxito da realização de uma cirurgia plástica, a confiança é a base de todo procedimento. Dúvidas em relação aos cuidados ou resultado devem ser todas apresentadas ao cirurgião, que estará disposto a tratar sobre essas questões. Este é o momento em que o paciente deverá contar todas suas expectativas e fantasias em relação à cirurgia, pois há de se ter uma expectativa realista sobre o procedimento”, acrescenta Marcos Cassol, cirurgião plástico, em São Paulo.

Antes da cirurgia

Para qualquer procedimento, o cirurgião deverá dar informações corretas com relação às expectativas e o real resultado que pode ser atingido, é o que explica Rodrigo Antoniassi. O cirurgião ainda ressalta que não existem milagres, e é sempre bom tomar cuidado com falsas promessas. Além disso, ele não recomenda fazer diversos procedimentos no corpo de uma só vez, pois isso eleva o tempo cirúrgico e consequentemente há um aumento dos riscos e de complicações.

Já o cirurgião Marcos Cassol alerta que em todo procedimento cirúrgico, por maior ou menor que seja, há riscos, porém, se o paciente realizar todos os exames pré-operatórios e avaliações, haverá mais segurança no procedimento.

Portanto, é essencial que o cirurgião entenda o que o paciente deseja e o alinhamento das expectativas deve ser realizado, inclusive sobre as limitações do resultado que a cirurgia pode oferecer. Em relação ao tempo de recuperação, Cassol diz que depende de cada paciente. Geralmente o período de 3 a 15 dias é necessário – entre procedimentos pequenos a maiores.

Evite problemas

Entre os mais procurados estão o implante de próteses de mama, lipoaspiração e abdominoplastia. No caso de implante de próteses de mama, problemas com pós-operatórios são raros, mas podem ocorrer situações como a extrusão da prótese (rejeição), infecção, hematomas e problemas anestésicos e ao sentir qualquer dor ou perceber algo de estranho, o paciente deve entrar em contato imediatamente com o médico, afirma Rodrigo A.

Ele relata que a partir do segundo mês a paciente poderá voltar a fazer todas as atividades normais. As restrições ficam para levantar os braços e realizar atividades que não necessitem de esforço intenso, que poderão ser feitos somente depois de um mês e por volta de 10 a 12 dias para voltar ao trabalho e a dirigir.

O cirurgião Marcos Cassol ressalta que evitar o sol, o calor excessivo e banhos muito quentes após a cirurgia contribui para a não infecção dos pontos e não surgimento de manchas na pele.

Essencial também é que o paciente utilize modelador e meias cirúrgicas após o procedimento, pois tão importante quanto a cirurgia são os cuidados pós-operatórios, responsáveis pela manutenção e qualidade do resultado final. Drenagens, massagens e orientações médicas também devem ser seguidas adequadamente.

O cirurgião completa dizendo que exercícios respiratórios após a cirurgia contribuem para a circulação sanguínea, relaxamento e o equilíbrio emocional. Outra dica valiosa são os exercícios respiratórios. “A cada uma hora a paciente deve inspirar bem fundo e segurar o ar por 10 segundos repetindo o exercício 10 vezes seguidas”, diz.

Tire suas dúvidas ou agende uma consulta com
Dr. Marco Cassol

Compartilhe :

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Marco Cassol

Marco Cassol

Dr. Marco Cassol Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista em Cirurgia Geral e em Cirurgia Plástica, tem mais de 15 anos de vivência na profissão. Após sua formação, desde 2006. CRM-SP 122955 / RQE 24987 Linkedin .

Artigos relacionados