Cirurgia Plástica no Pós-parto Aumenta Risco de Embolia

A maternidade é capaz de transformar a vida de uma mulher. Não apenas sua rotina e suas emoções são modificadas com o novo papel que assume, mas também seu corpo ganha uma nova forma e, em alguns casos, até marcas como estrias e a cicatriz da cesariana.

Para algumas mães, essas alterações físicas tornam-se tão incômodas que elas buscam solução na cirurgia plástica. “Todavia, elas precisam esperar seis meses depois do parto, que é o período que a musculatura do abdômen se reposiciona e reduzem as chances de uma embolia pulmonar, que pode colocar em risco a vida da mulher”, afirma o Cirurgião Plástico Marco Cassol.

A cirurgia plástica mais procurada pelas mamães é a abdominoplastia, seguida da mamoplastia. “Com a gestação, os músculos da região do abdômen se afastam da linha média e, com isso, as mulheres ficam com o abdômen pra frente.

Não tem indicação de lipo e, muitas vezes, fazer exercício ou emagrecer não resolve. Mesmo as que ganharam pouco peso podem ter o problema e aí a cirurgia reposiciona o ‘tanquinho’”, conta o médico.

Cirurgia Plástica no Pós-parto Aumenta Risco de Embolia 1

A mulher que passa por uma abdominoplastia pode voltar a engravidar sem prejuízos, ao contrário do que era dito antigamente. “E o melhor: o músculo vai continuar no lugar, não vai ter outro afastamento”, diz Cassol.

Mas a abdominoplastia exige um pós-operatório tranquilo. Segundo o médico, a cicatriz é bastante grande e é preciso ficar 15 dias longe das atividades cotidianas para se recuperar. “Podemos remodelar o abdome em um único procedimento. Conseguimos remover as estrias abaixo do umbigo, o excesso de pele e uma parte da gordura abdominal”.

Já a mamoplastia tem muitas variáveis. Depois que amamenta, a mulher tem um certo grau de atrofia das glândulas mamárias. Por isso, algumas precisam colocar prótese para preencher a mama, além de levantá-las. Outras mães ficam com o seio muito grande e precisam levantar e remodelar a mama, reduzindo seu tamanho.

As cicatrizes são embaixo da aréola e em âncora, embaixo do seio. “É importante destacar que é preciso esperar ao menos 30 dias depois de parar de amamentar e de sair leite para poder fazer a cirurgia.

Há mulheres que deixam de amamentar, mas ainda produzem leite e correm o risco de ter cistos de leite se fizerem o procedimento nesse período”, conta o médico.

Compartilhe :

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram

Tire suas dúvidas ou agende uma consulta com
Dr. Marco Cassol

Dr. Marco Cassol

Dr. Marco Cassol

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista em Cirurgia Geral e em Cirurgia Plástica, tem mais de 15 anos de vivência na profissão. Após sua formação, desde 2006. CRM-SP 122955 / RQE 24987

Artigos relacionados